Nestlé elevará capacidade de análise de alimentos com nova unidade no Brasil

terça-feira, 23 de maio de 2017 18:50 BRT
 

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - Fornecer alimentos cada vez mais frescos e seguros com maior agilidade das análises de qualidade, estes são alguns dos motivos por trás de investimentos de cerca de 20 milhões de reais da Nestlé na ampliação de seu Centro de Tecnologia e Qualidade, que passará a funcionar no interior de São Paulo.

Os investimentos, anunciados nesta terça-feira, ocorrem em momento em que a companhia busca cativar consumidores cada vez mais exigentes e com novos hábitos alimentares no país, o quarto mercado global da companhia suíça.

"O que vislumbramos é cada vez mais ter o produto mais rápido para o consumidor", disse o gerente-geral do Centro de Tecnologia e Qualidade da Nestlé, Frede Politi, em entrevista à Reuters.

O novo centro, que funcionará no parque fabril de Araras (SP), a partir de novembro, propiciará um aumento de pelo menos 20 por cento na capacidade de análises da unidade tecnológica, que hoje funciona na capital paulista.

A fábrica da Nestlé em Araras é uma das 31 que a empresa possui no Brasil, enquanto o centro de qualidade será uma referência para os demais laboratórios instalados em cada unidade fabril da companhia no país.

Com a expansão, o centro de análises estará mais preparado para o processo de lançamento de novos produtos, com a empresa de olho em um mercado consumidor exigente e competitivo, destacou Politi, que começou a trabalhar na Nestlé há cerca de 20 anos, como estagiário.

"A definição dos investimentos tem como objetivo modernizar para oferecer aos consumidores um produto de melhor qualidade... e também ser mais competitivo", comentou ele, destacando que o centro de referência brasileiro é um das 24 unidades do gênero da Nestlé no mundo.

No ano passado, por exemplo, uma importante linha de produtos sem lactose da Nestlé foi lançada no Brasil com metodologias desenvolvidas no centro.   Continuação...

 
Logo da Nestlé na sede da companhia em Vevey, na Suíça
18/02/2016
REUTERS/Pierre Albouy/File Photo