Chuva ajuda e conta de luz deve ter meses de alívio sem bandeira vermelha

segunda-feira, 29 de maio de 2017 14:34 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - Um grande e inesperado volume de chuvas na região das hidrelétricas do Sudeste e do Sul do Brasil nas últimas duas semanas mudou drasticamente o cenário de preços da eletricidade, que caíram fortemente e agora sinalizam para bandeira verde ou amarela nas contas de luz nos próximos meses, disseram especialistas à Reuters.

A perspectiva deve representar alívio para consumidores e outros agentes do mercado de energia, uma vez que até o início deste mês havia projeções de que as contas de luz poderiam seguir até novembro em bandeira tarifária vermelha, que eleva os custos da energia para incentivar um consumo mais consciente.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou na sexta-feira que junho terá bandeira tarifária verde nas tarifas de eletricidade, ante bandeira vermelha em maio e abril e amarela em março.

"A bandeira deve ficar entre verde e amarela (até o final do ano)... não acredito que volte a vermelha a não ser que tenhamos estiagem em agosto, o que ainda não vemos", disse à Reuters o diretor da comercializadora Ecom Energia, Paulo Toledo.

O principal fator que guia o acionamento das bandeiras tarifárias é o comportamento dos preços spot de eletricidade, ou Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), que para esta semana caiu de cerca de 478 reais para 167 reais por megawatt-hora, em meio a chuvas em bom volume e nas regiões dos reservatórios, que ajudam a recuperar as hidrelétricas.

A bandeira amarela, que inicia as cobranças adicionais, geralmente é disparada com PLD acima de 211 reais, enquanto a vermelha é acionada com preços acima de 422 reais.

Os especialistas, no entanto, ressaltam que os preços estão mais voláteis a partir deste mês, devido à entrada em vigor de uma metodologia de cálculo mais conservadora para o PLD.

"Uma característica vai ser a volatilidade, mas apostaria em um patamar médio de preços em torno de 200 reais (até o final do ano). Estaria no limite entre bandeira verde e amarela. A tendência maior é ter semanas de PLD bastante baixo, e depois em semanas mais adversas subindo para entre 250 e 300 reais", disse o diretor da comercializadora Compass, Marcelo Parodi.   Continuação...