Petrobras colhe impressões de analistas sobre metas e preço das ações

segunda-feira, 5 de junho de 2017 17:31 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras realizou nesta segunda-feira uma pesquisa junto a analistas na qual foram apresentadas questões que buscam entender a visão do mercado sobre as metas da companhia, como as de desinvestimentos, produção e endividamento, bem como sobre o valor das ações da estatal.

Segundo um exemplar da pesquisa visto pela Reuters, a Petrobras perguntou aos presentes, em seu encontro com investidores realizado em São Paulo, quanto da meta de 21 bilhões de dólares em desinvestimentos e parcerias para o período 2017-2018 deverá ser cumprida.

A companhia também pediu ao público, formado principalmente por analistas financeiros, que respondesse qual deve ser a produção de petróleo da Petrobras no Brasil em 2021 e qual seria um nível de endividamento adequado para a companhia.

O valor das ações da Petrobras também foi alvo de duas perguntas. Em uma, a empresa questiona se seus papéis têm sido negociados no mercado com prêmio, deságio ou com cotação justa diante do valor da companhia.

Posteriormente, a Petrobras pergunta qual evento pode afetar mais as ações --as renegociações da cessão onerosa, o progresso nas parcerias e vendas de ativos ou a "materialização de contingências", incluindo ação de investidores nos Estados Unidos contra a estatal (class action).

Um analista de mercado disse à Reuters que consultas como essas não são muito comuns, mas também não chegam a ser uma exceção. Segundo ele, a iniciativa indica que a estatal quer entender como o mercado tem visto as ações da direção da companhia e o nível de realismo de suas metas.

"Acho que eles estão tentando convergir o mercado para um consenso. Uma das grandes discussões hoje era como sustentar o ritmo de produção com queda do investimento, e querem ver se o mercado e os analistas em geral estão acreditando", disse um analista de um grande banco estrangeiro, sob anonimato.

"É uma boa iniciativa, mostra uma preocupação deles de entender o mercado", disse outro analista, que também falou sob anonimato.   Continuação...