JBS é alvo de operação da PF por suspeita de uso indevido de informações privilegiadas

sexta-feira, 9 de junho de 2017 17:26 BRT
 

Por Paula Arend Laier e Ana Mano

SÃO PAULO (Reuters) - A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira operação envolvendo a JBS e a FB Participações para apurar se houve uso indevido de informações privilegiadas por parte das empresas em transações de mercado financeiro ocorridas entre abril e maio de 2017, de acordo com comunicado da PF.

Segundo a Polícia Federal, a ação, batizada "Tendão de Aquiles", foi coordenada com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e contemplou três mandados de busca e apreensão nas empresas do grupo JBS e quatro mandados de condução coercitiva -- um dos quais ficou pendente porque o alvo não foi localizado, ao passo que os demais foram levados para a sede da PF em São Paulo e já foram liberados.

A operação apreendeu documentos, mídias, telefones celulares e informações de HDs, informou a PF em nota durante a tarde.

A J&F, que controla a empresa de alimentos, e a JBS afirmaram em nota mais cedo que foram entregues os materiais e documentos solicitados durante a operação na sede das companhias, mas não deram detalhes sobre os mandados de condução coercitiva.

"A companhia segue colaborando e está à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos necessários", afirmou.

As ações da empresa de alimentos fecharam em queda 2,67 por cento na bolsa paulista, a 7,28 reais, ante queda de 0,87 por cento do Ibovespa.

A investigação, segundo a PF, apura a venda de ações de emissão da JBS na bolsa de valores pela FB Participações no final do mês de abril, em período concomitante ao programa de recompra de ações da empresa, reiniciado em fevereiro de 2017.

A FB Participações é uma empresa de investimentos que é a acionista majoritária da JBS.   Continuação...

 
Entrada de unidade da JBS em Jundiaí (SP). 01/06/2017. REUTERS/Paulo Whitaker