24 de Setembro de 2014 / às 16:48 / 3 anos atrás

Anglo American obtém licença de operação para mineroduto do Minas-Rio

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Anglo American obteve licença de operação do Ibama para o mineroduto do projeto Minas-Rio, um passo importante para a grande aposta em minério de ferro da companhia no Brasil, informou a mineradora nesta quarta-feira.

O mineroduto, de 529 quilômetros, levará minério de mina e unidade de beneficiamento da Anglo em Conceição do Mato Dentro e Alvorada de Minas, em Minas Gerais, até o Porto do Açu, no Estado do Rio de Janeiro.

O empreendimento da Anglo, que deverá custar ao todo 20 bilhões de reais, muito mais do que o orçado inicialmente, terá capacidade anual de produção de 26,5 milhões de toneladas de minério de ferro. Essa também é a capacidade de transporte do mineroduto.

A capacidade total do mineroduto deverá ser atingida entre 18 e 20 meses após o início da operação, sendo que para 2015 a empresa prevê entre 11 milhões e 15 milhões de toneladas.

"Nosso foco total continua sendo o primeiro embarque no final de 2014, de forma segura e responsável”, frisou a Anglo, em nota.

Para o cumprimento da meta, a mineradora busca obter, neste trimestre, a licença de operação da mina e da planta de beneficiamento.

O terminal portuário --gerenciado pela joint venture Ferroport, com participação de 50 por cento da Anglo e 50 por cento da Prumo Logística (ex-LLX)-- teve licença operacional expedida em maio.

A empresa conseguiu também uma licença temporária para a linha de transmissão de energia de 230 kV, que deverá ser convertida em definitiva.

O projeto está atualmente em fase de comissionamento. Até o momento, 95 por cento das atividades necessárias para a realização do primeiro embarque foram realizadas.

Como parte dos testes, a Anglo concluiu em 24 de agosto o transporte da primeira carga de minério de ferro por meio do mineroduto.

A empresa reiterou ainda que os investimentos para a implantação do empreendimento permanecem alinhados com a estimativa informada em janeiro de 2013 de aproximadamente 20 bilhões de reais.

O investimento, porém, é muito mais alto que o previsto quando a Anglo começou a apostar no projeto.

Em abril de 2007, quando a mineradora comprou seus primeiros 49 por cento de participação do Minas-Rio, a previsão era que a primeira fase do projeto, de 26,5 milhões de toneladas de capacidade, iniciasse a produção em 2009, com um investimento total estimado em 2,35 bilhões de dólares.

Dos investimentos atuais previstos de 20 bilhões de reais, já foram gastos cerca de 15 bilhões de reais, com previsão de gasto de 2,7 bilhões de reais ao longo do segundo semestre deste ano, segundo a companhia.

Os 2,2 bilhões de reais restantes deverão ser empenhados em 2015, para a conclusão completa do quebra-mar e aquisição de equipamentos da área da mina para o ramp up.

Após investir em pesquisas, a Anglo conseguiu praticamente quadruplicar os recursos minerais estimados do projeto para 5,7 bilhões de toneladas, ante o total estimado inicialmente.

Atualmente, segundo a empresa, o Minas-Rio tem 1,45 bilhão de toneladas de reservas certificadas, das quais 685 milhões de toneladas são comercializáveis.

Por Marta Nogueira

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below