Wall Street fecha em forte queda com recuo das ações da Apple

quinta-feira, 25 de setembro de 2014 19:35 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - Os índices de ações norte-americanos tiveram forte queda nesta quinta-feira e o Standard & Poor's 500 registrou seu maior declínio em um único dia desde julho, com o declínio dos papéis da Apple e alta do dólar que alcançou o maior nível em quatro anos.

O índice Dow Jones caiu 1,54 por cento, a 16.945 pontos, o S&P 500 perdeu 1,62 por cento, a 1.965 pontos e o Nasdaq Composite perdeu 1,94 por cento, a 4.466 pontos.

O declínio do dia foi abrangente, com todos os dez principais setores do S&P 500 fechando no vermelho, sendo a maioria em queda superior a 1 por cento. Cerca de 80 por cento das ações negociadas na Bolsa de Nova York e na Nasdaq fecharam em queda.

O S&P caiu em quatro dos últimos cinco pregões e fechou abaixo de sua média de 50 dias pela primeira vez desde 15 de agosto.

A queda no mercado acionário acompanhou a contínua valorização do dólar, que subiu 0,2 por cento contra uma cesta de moedas. A divisa norte-americana acumula alta de 6,8 por cento no trimestre, seu maior ganho trimestral em seis anos.

Com as perdas do dia, o S&P está cerca de 2,3 por cento abaixo do recorde de fechamento alcançado no início deste mês, o que significa que permanece longe do território de correção, definido como uma queda de 10 por cento ante o pico.

A Apple teve uma de suas maiores quedas diárias do ano, recuando abaixo de um nível técnico importante, depois de a companhia ter retirado do ar a atualização de seu sistema operacional, o qual alguns usuários disseram ter diversas falhas.

A ação caiu 3,8 por cento, para 97,87 dólares, e foi a maior baixa do S&P.

O recuo do dia foi tão pronunciado que nenhuma ação do S&P 500 subiu mais de 1 por cento. A maior alta foi registrada pela Motorola Solutions Inc, que subiu 0,7 por cento, depois que a empresa disse que irá reduzir suas obrigações com o fundo de pensão em 4,2 bilhões de dólares.

(Por Ryan Vlastelica)