Bovespa tem maior queda percentual em 3 anos e Petrobras despenca 11% com avanço de Dilma em pesquisas

segunda-feira, 29 de setembro de 2014 18:00 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou com a maior queda percentual diária em três anos nesta segunda-feira, após pesquisas mostrarem novo avanço da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) na corrida presidencial, com as ações preferenciais da Petrobras caindo mais de 11 por cento.

O Ibovespa encerrou em baixa de 4,52 por cento, a 54.625 pontos, maior queda desde 22 de setembro de 2011, quando terminou em baixa de 4,8 por cento. O patamar de pontuação do fechamento foi o menor desde 10 de julho deste ano.

Incluindo a perda nesta sessão, o Ibovespa já devolveu toda a alta de agosto (9,78 por cento) e um pouco mais, acumulando um declínio em setembro de 10,87 por cento. No ano, o índice acumula alta de 6 por cento.

O volume financeiro do pregão atingiu 9,98 bilhões de reais.

Na sexta-feira, Datafolha mostrou que Dilma praticamente dobrou sua vantagem sobre Marina Silva (PSB) nas intenções de voto para o primeiro turno e passou a ter vantagem numérica sobre a ex-senadora em simulação de segundo turno.

"A pesquisa mostrou Dilma mais forte e voltou a especulação de uma decisão ainda no primeiro turno... Deu uma desanimada geral no mercado", observou Frederico Ferreira Lukaisus, gerente de renda variável na Fator Corretora.

"A queda no índice futuro desencadeou várias ordens de stop loss (execução de ordens de venda para evitar perdas maiores) e o que se viu foi o conhecido efeito manada", notou.

Também na sexta-feira à noite, pesquisa Sensus mostrou cenário semelhante.   Continuação...