Confiança da indústria brasileira cai 2,8% em setembro e vai ao menor patamar desde 2009

terça-feira, 30 de setembro de 2014 08:44 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Índice de Confiança da Indústria (ICI) brasileira recuou 2,8 por cento em setembro sobre agosto, marcando a nona queda seguida e indo ao menor patamar desde março de 2009, em meio à atividade fraca do setor.

O indicador atingiu 81,1 pontos neste mês, contra 83,4 pontos no mês anterior, quando havia caído 1,2 por cento, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta terça-feira.

"Ao final do terceiro trimestre, a atividade industrial mantém-se fraca. O setor se mostra insatisfeito com o ambiente de negócios e pessimista quanto à possibilidade de mudanças no horizonte de três a seis meses", disse o superintendente adjunto para ciclos econômicos da FGV/IBRE, Aloisio Campelo Jr.

O Índice da Situação Atual (ISA) recuou 2,9 por cento em setembro, a 80,3 pontos, com destaque para a satisfação com o nível de demanda.

Já o Índice de Expectativas (IE) voltou a recuar após ter mostrado recuperação em agosto, e caiu 2,6 por cento, para 81,9 pontos, influenciado principalmente pelas expectativas sobre a situação futura dos negócios, com recuo de 7,3 por cento.

A FGV informou ainda que o Nível de Utilização da Capacidade Instalada caiu a 83,0 por cento em setembro, 0,2 ponto percentual a menos do que no mês anterior.

Em julho a produção industrial brasileira voltou a crescer após cinco meses de queda, com alta de 0,7 por cento, mas analistas não consideraram o resultado como o início de tendência de recuperação para o setor.

Pesquisa Focus do Banco Central com economistas de instituições financeiras mostra que a expectativa é de que a indústria vai encolher 1,95 por cento neste ano, quando o Produto Interno Bruto (PIB) deve avançar apenas 0,29 por cento.

(Por Camila Moreira)

 
Trabalhadores em linha de produção de fábrica de Manaus. 24/06/2014 REUTERS/Jianan Yu