Alibaba lidera busca por tesouro no mercado global de ações

terça-feira, 30 de setembro de 2014 10:51 BRT
 

LONDRES/HONG KONG (Reuters) - O mercado global de ações voltou com força total em 2014, com profissionais do mercado financeiro, investidores e empresas se movimentando em um ímpeto cujos reflexos foram espetaculares para a gigante de e-commerce Alibaba, que protagonizou a maior abertura de capital já feita.

As ofertas globais de ações, de listagens a emissões, totalizaram 678,1 bilhões de dólares nos primeiros nove meses de 2014, um quarto a mais do que no mesmo período de 2013 e no maior patamar desde 2007, segundo dados da Thomson Reuters.

Empresas de todo o mundo levantaram recursos com a forte demanda dos investidores e as transações na Europa aumentaram em mais que a metade, atingindo o nível mais alto desde que os registros começaram em 1980.

As ofertas públicas iniciais (IPOs), em particular, roubaram os holofotes, quase dobrando em relação ao mesmo período de 2013, movimentando 176,1 bilhões de dólares em todo o mundo.

A esperada listagem do Alibaba finalmente foi feita em setembro, desencadeando um frenesi e recebendo um público amplo, que incluiu desde o fundador Jack Ma à estrela do kung fu Jet Li. Os participantes assistiram ao avanço de 38 por cento das ações da companhia em seu primeiro dia de negociação na bolsa de Nova York.

A operação levantou 25 bilhões de dólares depois de subscritores terem vendido ações extras, e ajudou a triplicar o volume com listagens em toda a região da Ásia-Pacífico, para mais de 69,5 bilhões de dólares, até agora neste ano.

A recuperação do mercado de ações se provou lucrativa, com profissionais do mercado financeiro ganhando 300 milhões de dólares com taxas na oferta do Alibaba, somente. No topo do ranking de emissões globais de ações em volume, o Goldman Sachs assessorou 300 negócios, totalizando 61,2 bilhões de dólares, seguido pelos bancos de investimento rivais JP Morgan e Morgan Stanley.

"Tem sido um ano fantástico para alguns bancos, mas a receita é direcionada para o setor de tecnologia e uma operação jumbo", disse o chefe do grupo de soluções de mercados globais na Ásia-Pacífico do Credit Suisse, Mervyn Chow. O banco foi um dos cinco coordenadores do IPO recorde do Alibaba.

"Este é um negócio histórico em todos os aspectos globais e proporciona um impulso muito positivo e um roteiro para outros empreendedores chineses que buscam abrir capital", disse ele. "Isso vai permitir que outras empresas de Internet em ascensão sigam (o movimento)."

(Por Freya Berry e Elzio Barreto)