30 de Setembro de 2014 / às 14:53 / 3 anos atrás

Governo da China lança campanha na mídia para apoiar transgênicos

PEQUIM (Reuters) - O governo chinês lançou uma campanha de mídia em apoio a grãos geneticamente modificados, em um momento em que sofre com uma onda de publicidade negativa sobre a tecnologia que as autoridades projetam que terá papel essencial na garantia da segurança alimentar no país.

O Ministério da Agricultura anunciou no início da semana que irá tentar informar o público sobre transgênicos por meio de televisão, jornais e internet.

O governo espera abafar um sentimento anti-transgênicos que ganhou força após uma série de incidentes, como relatos de que uma variedade de arroz geneticamente modificado foi vendido ilegalmente em um supermercado no centro do país.

Há tempos Pequim apoia os transgênicos, que são vistos como amplamente seguros e uma ferramenta importante para ajudar alimentar a maior população do mundo.

Por outro lado, críticos afirmam que a tecnologia pode impor riscos à saúde e, embora a China autorize a importação de alguns grãos transgênicos, o cultivo doméstico ainda não foi autorizado.

A China importa milhões de toneladas de soja transgênica todos os anos para alimentar o maior rebanho de suínos do mundo e para produzir cerca de 40 por cento do óleo vegetal consumido no país.

A China consome cerca de um terço de toda a soja produzida no planeta.

“Nós criaremos uma atmosfera social que seja benéfica para um desenvolvimento saudável da indústria de transgênicos”, disse o Ministério da Agricultura em um comunicado.

EPISÓDIOS NEGATIVOS

Uma série de episódios negativos este ano em certos alimentos transgênicos atrasaram o já lento progresso em direção a um cultivo doméstico e pode ter tido papel significativo na redução de importações de alguns grãos.

A descoberta de uma variedade de milho transgênico ainda não aprovado por Pequim em carregamentos enviados pelos Estados Unidos, com a proibição da entrada das cargas, causou turbulência no mercado, com a trading Cargill estimando suas perdas em mais de 90 milhões de dólares.

O país também suspendeu o processo de aprovação de importação de uma variedade de soja transgênica, citando “baixa aceitação pública” a alimentos do gênero, segundo duas fontes familiarizadas com o assunto.

ARROZ

A China já gastou bilhões de iuanes para desenvolver seus próprios grãos transgênicos e aprovou a comercialização de duas variedades de arroz resistente a infestações, além de um milho modificado, em 2009.

No entanto, preocupado com a forte oposição à tecnologia transgênica, o governo nunca levou adiante o cultivo.

Os certificados de segurança dos produtos venceram no mês passado.

Em um discurso no mês passado, cujo conteúdo foi publicado apenas esta semana, o presidente chinês Xi Jinping pediu que a indústria seja ousada na competição com desenvolvedores de biotecnologia estrangeiros.

Por Dominique Patton

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below