Energia solar terá preço-teto de R$262 por MWh em leilão de reserva

terça-feira, 30 de setembro de 2014 16:25 BRT
 

Por Leonardo Goy e Anna Flávia Rochas

BRASÍLIA (Reuters) - A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou nesta terça-feira edital do leilão de energia de reserva, marcado para 31 de outubro, com preço-teto de 262 reais por megawatt-hora (MWh) para a energia solar, que ficou dentro da faixa pedida pelos investidores no setor.

O leilão será o primeiro realizado pelo governo federal em que a fonte solar não precisará competir com outras mais baratas para vender a energia, e pode resultar na efetiva entrada dessa fonte na matriz elétrica nacional.

Especialistas do setor, que defendiam preço-teto variando entre 230 e 300 reais por MWh para a energia solar no leilão, avaliam que o preço definido pela Aneel permitirá que entre 500 a 1.000 MW de novos projetos solares possam se viabilizar na licitação, dependendo da quantidade de energia que o governo resolver contratar.

"É um preço dentro do que a gente esperava. Esse preço está bom", disse o assessor do grupo de Geração, Transmissão e Distribuição (GTD) da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Roberto Barbieri. Ele acredita que haverá cerca de 500 MW em novos projetos com condições de se viabilizarem com venda de energia no leilão.

Já o presidente da Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica (Apine), Luiz Fernando Vianna, estima existir entre 500 e 1.000 MW de novos projetos solares com condições de vender no leilão. "É um preço justo, está na faixa dos preços que tínhamos sugerido e vai propiciar uma competitividade muito grande", disse.

O volume de energia a ser contratado no leilão é definido pelo governo federal, que não costuma divulgar esse número para manter a competitividade nos certames.

No leilão de energia de reserva também poderão participar fontes eólica e biomassa de resíduos sólidos.

Para a energia eólica o preço máximo que poderá ser praticado no leilão ficou em 144 reais por MWh e, para a biomassa composta por resíduos sólidos, biogás de aterro sanitário ou biodigestores de resíduos vegetais ou animais o teto ficou em 169 reais por MWh.

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) já divulgou que foram cadastrados 26.297 MW de projetos para participação no leilão, dos quais 15.356 de energia eólica, 10.790 MW de energia solar fotovoltaica e 151 MW de termelétricas a biogás.

Esses projetos ainda têm que passar pela fase de habilitação para efetivamente participarem do leilão.