Dólar sobe 1,5% ante real após Dilma ampliar vantagem em pesquisas eleitorais

quarta-feira, 1 de outubro de 2014 17:55 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar subiu 1,5 por cento ante o real nesta quarta-feira para o maior nível em quase seis anos após pesquisas eleitorais do Ibope e do Datafolha mostrarem que a presidente Dilma Rousseff (PT), cuja política econômica é alvo de críticas nos mercados financeiros, mantém liderança firme na corrida presidencial.

A moeda norte-americana encerrou em 2,4848 reais na venda, renovando a máxima atingida pela última vez em dezembro de 2008. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,6 bilhão de dólares.

"O mercado não está mais se baseando em fluxo, só em notícias sobre as eleições", afirmou o superintendente de câmbio da corretora Intercam, Jaime Ferreira.

Dilma ampliou a liderança nas intenções de voto no primeiro turno e continua mostrando vantagem na segunda rodada, segundo os dois levantamentos eleitorais. Já a diferença entre os rivais Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB) diminuiu, tornando cada vez mais incerto quem disputará o segundo turno contra a atual presidente.

O avanço recente das intenções de voto para Dilma ajudou a moeda norte-americana a registrar em setembro a maior alta mensal em três anos, alimentando preocupações inflacionárias decorrentes do aumento dos preços de importados.

O ritmo acelerado de alta do dólar tem preocupado os agentes econômicos. Segundo analistas, vem crescendo a demanda por proteção cambial, o que, por sua vez, pressiona ainda mais as cotações da moeda norte-americana.

"Quando o câmbio tem momentos de tensão sustentada, como está acontecendo agora, muita gente fica com medo de não ter se protegido o suficiente e vai ao mercado com isso na cabeça", disse o gerente de derivativos de um banco internacional.

A cena eleitoral também se traduziu em maior incerteza sobre o comportamento do dólar frente ao real nos próximos meses. Pesquisa da Reuters publicada mais cedo mostrou que as projeções se espalharam muito mais, com o cenário mais pessimista projetando o dólar a 2,90 reais daqui a um ano, enquanto o mais otimista vê a moeda em a 2,27 reais.   Continuação...

 
Notas de dólares. REUTERS/Siphiwe Sibeko