Light vê cenário menos desfavorável para distribuidora de energia em 2015

quarta-feira, 1 de outubro de 2014 22:25 BRT
 

Por Anna Flávia Rochas

SÃO PAULO (Reuters) - A distribuidora de energia Light, que atua no Rio de Janeiro, espera enfrentar uma exposição ao mercado de energia de curto prazo no ano que vem menor que a deste ano, disse o diretor Financeiro e de Relações com Investidores do grupo, João Zolini, nesta quarta-feira.

"O meu otimismo vem do seguinte: não tem como repetir este ano. Então, o ano que vem, necessariamente vai ser melhor", disse a jornalistas, durante reunião com investidores da Apimec-SP.

Segundo o executivo, a exposição involuntária da empresa em 2013 ficou entre 140 e 160 megawatts (MW) médios e em 2014 foi de 330 MW médios. Ele não divulgou qual a necessidade de contratação da companhia para 2015.

"A visão nossa em termos de exposição involuntária e PLD (preço de energia de curto prazo) para o ano que vem é mais otimista", acrescentou.

Zolini lembrou que o governo federal já disse que fará um leilão de energia A-1 neste ano para reduzir a descontração das distribuidoras em 2015, e disse que um eventual leilão A-0 no ano que vem não está descartado.

Além disso, ele também não vê o PLD nos mesmos níveis vistos neste ano. "Não vai ser um ano de 800 reais, não tem como."

Em 2015 entrará em vigor uma medida que aliviará os gastos das distribuidoras com energia no mercado de curto prazo, as chamadas "bandeiras tarifárias", por meio das quais a eventual elevação no custo da energia será repassada para o consumidor no mês seguinte.

Atualmente, as distribuidoras carregam esses custos até o reajuste seguinte das tarifas, o que prejudica o fluxo de caixa dessas empresas.   Continuação...