Prêmio para soja da nova safra sobe nos portos do Brasil apesar de ampla oferta

quinta-feira, 2 de outubro de 2014 12:42 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - Os prêmios oferecidos por compradores internacionais nos portos brasileiros para a nova safra de soja do país subiram nas últimas semanas e estão acima dos patamares vistos um ano atrás, numa indicação de que o mercado tenta destravar as vendas antecipadas do produto.

O prêmio oferecido para a soja no porto de Paranaguá com entrega em março é de 81 centavos de dólar por bushel sobre a cotação da bolsa de Chicago, segundo dados do terminal Thomson Reuters Eikon.

Um mês atrás, o prêmio oferecido para março, período de forte fluxo de soja no porto, era de 63 centavos.

No início de outubro de 2013, o prêmio ofertado para a soja em março de 2014, era praticamente nulo, de apenas 8 centavos de dólar.

"Temos um volume bem menor de vendas antecipadas. Talvez o prêmio esteja positivo numa tentativa de atrair esse vendedor", disse o pesquisador Lucílio Alves, do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), que faz levantamentos de preços em toda a cadeia da soja.

As vendas antecipadas da safra 2014/15, que está começando a ser plantada e será colhida no primeiro semestre do ano que vem, estão em 13 por cento do volume previsto, contra 28 por cento um ano atrás, segundo estimativa mais recente divulgada pela consultoria Safras & Mercado.

Muitos produtores estão sentido na prática os efeitos da queda das cotações internacionais da soja, que acumulam perdas de cerca de 30 por cento na bolsa de Chicago desde janeiro e operam nos menores patamares em quase cinco anos.

"Com o preço que está sinalizando, o pessoal não está querendo vender", disse o agricultor Laércio Lenz, que também é presidente do Sindicato Rural de Sorriso (MT), o principal município produtor de soja do país.   Continuação...