Produção de veículos no Brasil tem queda de 17% no 3o trimestre

segunda-feira, 6 de outubro de 2014 14:52 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A produção de veículos no Brasil no terceiro trimestre caiu 16,8 por cento sobre igual período de 2013, impactada por fraqueza do mercado interno e das exportações e que fez de setembro o sexto mês consecutivo de fechamento de postos de trabalho no setor.

Apesar da queda na produção, os estoques de veículos novos à espera de comprador fecharam setembro em 404,5 mil unidades, maior nível do ano, afirmou a associação que representa o setor, Anfavea, nesta segunda-feira.

A produção do terceiro trimestre somou 818,1 mil veículos, alta de 5,6 por cento sobre o segundo trimestre. Já as vendas foram de 863,6 mil veículos, crescendo 1,6 por cento sobre o segundo trimestre deste ano, mas caindo 12 por cento na comparação anual.

Luiz Moan, presidente da Anfavea, disse que a indústria tem se recuperado dos fracos resultados do primeiro semestre e que a média de veículos vendidos até agora no segundo semestre é 3,9 por cento maior que o emplacado na primeira metade do ano.

"Neste segundo semestre estamos crescendo sobre o primeiro", disse Moan a jornalistas, ressalvando que a entidade esperava que as vendas em setembro fossem "um pouquinho melhores".

Em setembro apenas, a produção foi de 300,8 mil veículos, alta de 13,7 por cento sobre agosto e queda de 6,7 por cento sobre um ano antes. As vendas foram de 296,3 mil unidades, subindo 8,7 por cento na comparação mensal, mas recuando 4,4 por cento na relação anual.

"É de se esperar que as vendas continuem pressionadas dado o ambiente econômico desafiador", disseram analistas da Buckingham Research Group, em relatório. "A queda anual nas vendas de veículos leves foi bem melhor que o esperado, dada economia desafiadora", acrescentaram.

Apesar dos acumulados do ano de produção e vendas estarem ainda longe das estimativas da Anfavea já pioradas para o ano, a entidade manteve suas estimativas nesta segunda-feira.

A expectativa para a produção em 2014 é de queda de 10 por cento, ante uma performance acumulada até setembro de recuo de 16,8 por cento. Já para os licenciamentos a estimativa é de queda de 5,4 por cento, ante um volume comercializado até o mês passado 9,1 por cento menor que um ano antes.   Continuação...