October 7, 2014 / 8:19 PM / 3 years ago

Dólar cai 1% ante real por eleições; investidores aguardam pesquisas

3 Min, DE LEITURA

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar caiu 1 por cento ante o real nesta terça-feira, recuando pela terceira sessão seguida, e fechou no menor nível em duas semanas, com investidores animados por notícias de que Marina Silva (PSB) já teria fechado apoio a Aécio Neves (PSDB) no segundo turno das eleições à Presidência.

Segundo analistas, a moeda norte-americana deve rondar o patamar de 2,40 reais até novas pesquisas eleitorais trazerem mais pistas sobre a acirrada disputa entre o tucano e a presidente Dilma Rousseff (PT).

A divisa dos Estados Unidos caiu 1 por cento, a 2,4023 reais na venda, menor nível de fechamento desde 24 de setembro, quando ficou em 2,3835 reais.

Na segunda-feira, o dólar chegou a bater em 2,37 reais no intradia devido ao bom desempenho do candidato do PSDB no primeiro turno, mas o movimento não se sustentou.

Nas três últimas sessões, a divisa acumulou queda de 3,59 por cento. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro desta sessão ficou em torno de 1,6 bilhão de dólares.

"A força do Aécio fica maior com o apoio de Marina, não só em termos de transferência de voto mas também por causa do componente psicológico", disse o superintendente de câmbio da corretora Intercam, Jaime Ferreira.

A imprensa local publicou a notícia de que Marina estaria decidida a apoiar Aécio, mas colocará algumas condições ao tucano, entre as quais o fim da reeleição. No domingo, após o fim do primeiro turno das eleições, a ex-senadora já havia sinalizado que poderia apoiar o candidato do PSDB.

Aécio é preferido pelos mercados por prometer uma política econômica mais ortodoxa, em meio a críticas à condução da política econômica do atual governo, e seu avanço tem sido associado ao enfraquecimento da moeda norte-americana.

Na véspera, o dólar chegou a cair 3,4 por cento logo após a abertura dos negócios depois de o tucano garantir uma vaga no segundo turno e aproximar-se de Dilma como nunca na campanha, mas reduziu as perdas.

Mesmo com a baixa recente, operadores afirmam que a moeda norte-americana não deve mudar muito de patamar até a publicação de novas pesquisas eleitorais. Espera-se que o Datafolha e o Ibope divulguem novos levantamentos a partir de quinta-feira.

"O rumo do mercado no curto prazo vai ser definido pelas pesquisas. Mas o certo é que nas próximas semanas, o mercado vai ser bastante volátil", afirmou o operador de câmbio da corretora B&T, Marcos Trabbold.

Nesta manhã, o Banco Central brasileiro vendeu a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares, pelas atuações diárias. Foram vendidos 1 mil contratos para 1º de junho e 3 mil para 1º de setembro, com volume correspondente a 197,3 milhões de dólares.

O BC também vendeu nesta sessão a oferta total de até 8 mil swaps para rolagem dos contratos que vencem em 3 de novembro. Ao todo, a autoridade monetária já rolou cerca de 22 por cento do lote total, equivalente a 8,84 bilhões de dólares.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below