Ford diz que novas fábricas e modelos vão elevar vendas na China após queda em setembro

sexta-feira, 10 de outubro de 2014 10:43 BRT
 

XANGAI (Reuters) - A Ford Motor disse nesta sexta-feira que espera impulsionar as vendas na China quando novas instalações de montagem iniciarem a produção e novos veículos chegarem aos showrooms nos próximos meses, depois de registrar a primeira queda em vendas mensais na China este ano.

A montadora dos Estados Unidos e suas joint ventures chinesas venderam 95.875 veículos em setembro na China, queda de 0,2 por cento em relação ao mesmo período do ano anterior, disse a empresa.

Isso ocorre após um aumento de 9 por cento em agosto, na comparação anual, e um crescimento de dois dígitos em todos os meses anteriores de 2014.

"Estamos no ponto máximo", disse a porta-voz da Ford, Claire Li, referindo-se às restrições de capacidade que estão comprimindo as vendas da Ford no maior mercado de automóveis do mundo.

Ela disse que as novas linhas de montagem em Hangzhou e Chongqing aliviarão as pressões de fornecimento, mas sem dar metas de vendas específicas para os próximos meses.

A unidade de Chongqing deve abrir no final deste ano, com capacidade anual de produzir 300.000 veículos, enquanto a de Hangzhou terá capacidade para outros 250.000 veículos quando começar a produção no ano que vem.

A Ford planejou aumentar sua capacidade total na China para 1,5 milhão de veículos até o final de 2015.

Li disse que não há previsão de vendas para o próximo ano, mas que a política da Ford era de alinhar a capacidade com as expectativas de vendas.

As vendas da Ford nos primeiros nove meses do ano totalizaram 813.412 veículos, um aumento de 26 por cento em relação ao mesmo período do ano anterior, disse a montadora nesta sexta-feira.

(Reportagem adicional de Adam Jourdan)