Espanhola Gas Natural Fenosa fará oferta de US$3,3 bi por chilena CGE

segunda-feira, 13 de outubro de 2014 08:50 BRT
 

MADRI/SANTIAGO (Reuters) - A espanhola Gas Natural Fenosa disse no domingo que iria fazer uma oferta de 3,3 bilhões de dólares para adquirir a maior distribuidora de energia elétrica chilena, a Compania General de Electricidad (CGE), em uma tentativa de aumentar sua presença no crescente mercado latino-americano.

A oferta em dinheiro da empresa de gás e eletricidade, de 4.700 pesos (7,90 dólares) por ação, ocorre após acionistas controladores da CGE terem concordado em vender suas participações combinadas de 54,19 por cento a esse preço.

Como parte do acordo com os investidores, a Gas Natural Fenosa vai lançar uma oferta pelo resto da empresa nesta segunda-feira, marcando sua maior aquisição estrangeira já feita se comprar a totalidade da CGE.

A empresa espanhola tem estado atenta para aumentar sua presença na América Latina, onde vê potencial de crescimento, enquanto economias europeias vacilam e reformas energéticas difíceis em seu mercado de origem pesam sobre o lucro.

"Com a aquisição da CGE, a (Gas Natural Fenosa) vai estar presente no negócio de energia em sete das maiores cidades da América Latina", disse a empresa espanhola em um comunicado.

O negócio também será a maior aquisição já realizada de uma empresa chilena, após a Abbott Laboratories dizer no início deste ano que iria comprar a empresa farmacêutica CFR por 2,9 bilhões de dólares.

A oferta da Gas Natural Fenosa, que expirará em 11 de novembro, tem um prêmio de 72 por cento sobre o preço médio das ações da CGE ao longo dos últimos 12 meses.

A CGE atende parte da capital do Chile, Santiago, e distribui cerca de 40 por cento da eletricidade do país. A empresa também é dona de uma participação de controle na transportadora de gás chilena Gasco e tem operações de energia elétrica na Argentina.

A Gas Natural Fenosa disse que precisa de 51 por cento de apoio dos acionistas para que sua oferta pela CGE siga em frente, embora já tenha fechado um acordo com os controladores da empresa, as famílias Marin, Almeria e Perez Cruz, que vão apoiar a oferta.

(Sarah White e Anthony Esposito)