Bolsas dos EUA caem após vendas se acentuarem no fim do dia; energia e aéreas lideram perdas

segunda-feira, 13 de outubro de 2014 18:30 BRT
 

Por Caroline Valetkevitch

Nova York (Reuters) - Os principais índices acionários dos Estados Unidos caíram mais de 1 por cento nesta segunda-feira, com o S&P 500 fechando abaixo de um suporte técnico importante, após quedas em ações de energia e empresas aéreas puxarem um movimento de vendas no fim do dia.

O índice do setor de energia do S&P caiu 2,9 por cento na sessão, aumentando as recentes quedas. A perda acumulada nas últimas três sessões é de 7,6 por cento, a pior queda em três dias desde setembro de 2011.

O indicador Dow Jones caiu 1,35 por cento, a 16.321 pontos, enquanto que o S&P 500 teve queda de 1,65 por cento, a 1.874 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq perdeu 1,46 por cento, a 4.213 pontos.

A queda nesta segunda-feira segue a pior semana em termos de queda percentual para o Nasdaq e o S&P desde maio de 2012 e levanta preocupações de que o mercado esteja a caminho de novas fraquezas e solavancos. O índice CBOE de volatilidade terminou a sessão aos 24,64 pontos, o maior fechamento desde o início de junho de 2012.

Em uma outra indicação potencial de mercado com tendência de queda, o S&P 500 fechou abaixo da média móvel de 200 dias pela primeira vez desde 16 de novembro de 2012. O índice perdeu 4,8 por cento nas últimas três sessões, a pior queda para o período de três dias desde novembro de 2011.

As ações de empresas aéreas caíram após uma enfermeira de Dallas ser contaminada pelo Ebola enquanto cuidava de um paciente da Libéria.

"É apenas mais uma coisa em relação a preocupações com o Ebola. Se está certo ou errado, a opinião do mercado agora é que a contínua piora da situação do Ebola terá um efeito negativo em viagens e lazer", disse o diretor geral de negociação de ações da Wedbush Securities, Michael James.

Ações da United Airlines caíram 7,3 por cento, para 40,55 dólares, enquanto as da Delta Air Lines perderam 6,1 por cento, a 30,90 dólares.