Citi tirará bancos para consumidores de 11 mercados; tem alta no lucro trimestral

terça-feira, 14 de outubro de 2014 10:57 BRT
 

(Reuters) - O Citigroup disse nesta terça-feira que irá sair da área de banco para consumidores em 11 mercados, conforme o mais internacional dos grandes bancos norte-americanos busca pavimentar seu caminho para melhores lucros.

O Citigroup também registrou aumento de 13 por cento no lucro líquido ajustado do terceiro trimestre, ajudado por melhores resultados em sua carteira de ativos problemáticos que sobraram da crise financeira.

O lucro líquido ajustado do trimestre subiu para 3,67 bilhões de dólares, ou 1,15 dólar por ação, ante 3,26 bilhões de dólares, ou 1,02 dólar por ação, um ano antes.

Analistas esperavam lucro de 1,12 dólar por ação, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S. Não ficou imediatamente claro se os resultados eram comparáveis.

O terceiro maior banco dos Estados Unidos disse que irá sair de suas operações de banco para consumidores em seis países da América Latina - Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Panamá e Peru -, além de Japão, Egito, República Tcheca, Hungria e Guam. O Citigroup disse que irá continuar a servir clientes institucionais nesses mercados.

"Estou empenhado em simplificar a nossa empresa e alocar nossos finitos recursos onde podemos gerar os melhores retornos para os nossos acionistas", disse o presidente-executivo Michael Corbat.

Ao cortar seus negócios voltados para consumidores, o Citigroup retorna para uma estrutura corporativa anterior, de foco no seu extenso alcance global para clientes empresariais.

O banco opera em cerca de 100 países e é especializado em processos de pagamentos internacionais e gerenciamento de caixa para instituições.

A Citi Holdings, a divisão que detém a carteira do banco de ativos problemáticos, registrou lucro líquido ajustado de 272 milhões de dólares, em comparação com um prejuízo de 113 milhões de dólares um ano antes.

(Por David Henry e Anil D'Silva)