Resultado do Citi ajuda ações europeias a se recuperarem de mínima de 8 meses

terça-feira, 14 de outubro de 2014 13:54 BRT
 

Por Atul Prakash

LONDRES (Reuters) - O índice referencial europeu de ações recuperou-se no final da terça-feira após atingir mínima de oito meses mais cedo por preocupações com o crescimento global, com os resultados do Citigroup e um rali nos mercados dos Estados Unidos animando alguns investidores.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne os principais papéis do continente, teve oscilação negativa de 0,03 por cento, a 1.293 pontos, depois de cair mais de 1 por cento e atingir 1.274 pontos, menor nível desde o início de fevereiro.

O Citigroup divulgou alta melhor que o esperado de 13 por cento no lucro líquido ajustado do terceiro trimestre e informou que irá sair da área de banco para consumidores em 11 mercados.

"Os mercados acionários caíram bastante em relação a seus picos nas últimas duas semanas. Isso cria algum escopo para recuperação no quarto trimestre", disse o chefe de estratégia acionária do Baader Bank, Gerhard Schwarz.

O índice perdeu cerca de 9 por cento desde meados de setembro, com os mercados acionários em todo o mundo se preocupando com as perspectivas de crescimento global e o momento da primeira alta da taxa de juros nos Estados Unidos após anos em que bancos centrais injetaram dinheiro barato.

Na Alemanha, a pesquisa mensal do instituto ZEW sobre a confiança econômica caiu pelo 10º mês seguido, para -3,6, leitura mais fraca desde novembro de 2012, sugerindo que a maior economia da Europa está patinando com as crises no exterior e fraqueza na zona do euro.

Setores cíclicos ficaram sob pressão, com o índice bancário do STOXX Europe 600 em queda de 0,34 por cento após cair com força no dia, com investidores aguardando os resultados nesta semana de grandes empresas financeiras nos EUA como o Bank of America, Goldman Sachs e o Morgan Stanley.

 
O índice referencial europeu de ações recuperou-se após atingir mínima de oito meses mais cedo por preocupações com o crescimento global, com os resultados do Citigroup e um rali nos mercados dos Estados Unidos animando alguns investidores. 06/10/2014 REUTERS/Remote/Stringer