Vendas no varejo brasileiro sobem 1,1% em agosto, mas ainda não indicam recuperação

quarta-feira, 15 de outubro de 2014 12:08 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - As vendas no varejo brasileiro subiram 1,1 por cento em agosto sobre julho, maior avanço em um ano e acima do esperado, mas o movimento foi considerado apenas pontual por especialistas em meio ao cenário de fraqueza da atividade econômica.

Na comparação com agosto de 2013, as vendas varejistas recuaram 1,1 por cento, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.

O número mensal de agosto é o maior desde julho de 2013, quando as vendas cresceram 2,6 por cento, e ainda ficou acima da expectativa de alta de 0,75 por cento em pesquisa da Reuters. [nL2N0S826Z]

Porém, representou apenas o terceiro mês neste ano em que as vendas ficaram no azul na comparação mensal. "Foi um resultado positivo, mas não dá para falar ainda em recuperação. As famílias consumiram mais em agosto depois de alguns meses de demanda reprimida", destacou a coordenadora da pesquisa no IBGE, Juliana Vasconcelos.

Analistas concordam com a avaliação, destacando que o número sugere mais um ajuste técnico do que mudança de tendência em meio ao cenário pouco propício para o consumo com o alto endividamento das família, a taxa de juros elevada e a inflação alta.

"O patamar estava bem baixo, então é mais uma reversão do que recuperação. Não devemos observar mais taxas expressivas como essas neste ano porque a confiança continua em nível baixo", disse o economista da MCM Consultores Associados Leandro Padulla.

O IBGE informou que o volume de vendas em sete das oito atividades pesquisadas no varejo restrito subiram em agosto na comparação mensal, com destaque para os segmentos Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (+7,5 por cento) e Tecidos, vestuários e calçados (+3,2 por cento).

O único recuo foi registrado por Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, de 0,1 por cento no período.   Continuação...

 
Sapatos femininos expostos em loja de Fortaleza. 15/06/2014 REUTERS/Mike Blake