Putin e Poroshenko se reunirão para discutir paz na Ucrânia e fornecimento de gás

quarta-feira, 15 de outubro de 2014 10:30 BRT
 

Por Alexei Anishchuk e Pavel Polityuk

MOSCOU/KIEV (Reuters) - Uma longa disputa sobre abastecimento de gás natural estará na agenda quando os presidentes russo, Vladimir Putin, e ucraniano, Petro Poroshenko, se reunirem na Itália no fim desta semana, disse o Kremlin.

Um comunicado do Kremlin emitido na noite de terça-feira disse que os presidentes da Ucrânia e da Rússia haviam conversado por telefone e discutiram medidas para restaurar a paz no leste da Ucrânia.

A próxima reunião deles em Milão é um sinal encorajador para Moscou, Kiev e para o Ocidente, em vista de um embate sobre a decisão da Rússia de cortar o abastecimento para a Ucrânia por causa da crescente dívida.

A Ucrânia enfrenta uma possível falta de energia neste inverno se nenhum acordo for alcançado, o que pode levar também à interrupção do abastecimento de gás para a Europa - o que aconteceu em 2006 e 2009. A Europa recebe um terço de sua demanda de gás da Rússia, e metade disso vem de gasodutos que passam pela Ucrânia.

Os líderes russo e ucraniano continuarão suas discussões nos bastidores de uma cúpula entre líderes europeus e asiáticos na qual ambos estarão, em Milão, dias 16 e 17 de outubro.

O presidente da Ucrânia disse nesta quarta-feira que “todo o mundo tem altas expectativas” desse encontro frente a frente.

Segundo declarou um alto assessor do Kremlin nesta quarta-feira, Putin e Poroshenko poderiam se encontrar na presença da chanceler alemã, Angela Merkel, e do presidente francês, François Hollande, na sexta-feira, e ele não descartou a possibilidade de os dois líderes pós-soviéticos conversarem depois separadamente.

Yuri Ushakov disse que Putin também realizará uma reunião a sós com Merkel em 16 de outubro ao chegar em Milão, antes do encontro com a Ucrânia.   Continuação...

 
Presidente russo, Vladimir Putin, cumprimenta o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, durante um encontro bilateral em Minsk, no Cazaquistão. 26/08/2014. REUTERS/Sergei Bondarenko/Kazakh Presidential Office/Pool