Ações europeias sofrem maior queda diária desde 2011

quarta-feira, 15 de outubro de 2014 14:54 BRT
 

Por Blaise Robinson

PARIS (Reuters) - As vendas generalizada de ações europeias aceleraram nesta quarta-feira, sofrendo a maior queda diária em quase três anos, com investidores reduzindo sua exposição a ativos de risco devido a preocupações crescentes sobre o crescimento global.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne os principais papéis europeus, fechou com queda de 3,22 por cento, aos 1.251 pontos, nível não visto desde dezembro. Foi a maior queda do índice em um dia desde o final de 2011.

O índice já caiu 11 por cento desde meados de setembro por dúvidas crescentes sobre a força da economia global.

A queda representou perda de cerca de 255 bilhões de dólares em valor de mercado para ações europeias listadas no amplo índice STOXX Europe 600. O valor é maior que o Produto Interno Bruto (PIB) de Portugal e do que todo o valor de mercado da maior petroleira da Europa, a Royal Dutch Shell.

As ações ampliaram as perdas depois que dados mostraram que as vendas no varejo dos Estados Unidos caíram em setembro e que os preços pagos por empresas também recuaram, alimentando preocupações de que a demanda de consumidores pode estar fraquejando enquanto a inflação ainda não conseguiu ganhar força.

"Houve uma grande aceleração das vendas de ações, com um salto na aversão a risco se espalhando de maneira ampla para o mercado de câmbio e de títulos, e até mesmo um retorno do estresse sobre ativos gregos", disse o analista-chefe de mercado da IG France, Alexandre Baradez.

"O fluxo de notícias está piorando rapidamente, incluindo os dados de hoje dos EUA. Não é nada que tranquilize investidores. Todos os ingredientes estão aí para mais perdas".

"Nesta guinada 'risco zero', investidores mundiais estão se livrando de seus ativos com mais riscos, e obviamente ações e títulos da Grécia se encaixam nesta categoria".   Continuação...