ENTREVISTA-Falta de chuvas já ameaça potencial da safra de soja de Mato Grosso

quarta-feira, 15 de outubro de 2014 16:28 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - A falta de chuvas em Mato Grosso nas últimas duas semanas já preocupa produtores de soja e ameaça atrapalhar cronograma de plantio, com possíveis prejuízos ao potencial de colheita, disse nesta quarta-feira o presidente da associação que reúne agricultores do Estado.

"Você começa a bagunçar todo o planejamento e isso traz risco para a produtividade", disse à Reuters Ricardo Tomczyk, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja MT).

O plantio de soja no Estado --maior produtor de grãos do Brasil e responsável por cerca de 30 por cento da colheita nacional de soja-- está atrasado em relação a 2013.

O relatório de plantio do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) divulgado na semana passada apontava trabalhos concluídos em 8 por cento da área total projetada. E praticamente não houve avanços desde então, devido à baixa umidade do solo.

"Já deveríamos estar em 20 a 30 por cento da área plantada", estimou Tomczyk.

A Somar Meteorologia disse nesta quarta-feira que o acumulado de chuvas nas principais regiões agrícolas de Mato Grosso desde o início do mês não passa de 6 milímetros, contra uma média histórica total para outubro de mais de 150 milímetros.

"Somente depois do dia 23 (de outubro) os modelos mostram chuva mais organizada e com volume mais expressivo em todo o Brasil", disse a Somar.

Quando as chuvas retornarem, trazendo a umidade no solo necessária para o desenvolvimento das sementes, restará bem menos tempo na chamada "janela" ideal de plantio.   Continuação...