Produção de aço do Brasil fecha 3o tri em queda anual de 1,6%

quinta-feira, 16 de outubro de 2014 11:30 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A produção brasileira de aço bruto caiu 1,6 por cento no terceiro trimestre sobre o mesmo período do ano passado, pressionada por recuo de dois dígitos no volume produzido de aços longos, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pelo setor.

Segundo o Instituto Aço Brasil (IABr), o Brasil produziu 8,736 milhões de toneladas de aço bruto de julho a setembro ante 8,877 milhões no mesmo período de 2013. Na comparação com o fraco segundo trimestre, houve crescimento de 4,2 por cento.

A produção de aços longos, usados em setores como construção civil e que vinham recebendo impulso de obras de infraestrutura e moradia, teve recuo de 10,3 por cento no terceiro trimestre sobre um ano antes, a 2,636 milhões de toneladas.

Já a produção de planos recuou 4 por cento no mesmo período, para 3,601 milhões de toneladas, pressionada pela fraqueza de setores como veículos e máquinas e equipamentos.

Os dados corroboram expectativas de analistas de que as siderúrgicas de capital aberto --Usiminas, CSN e Gerdau-- devem divulgar resultados fracos de terceiro trimestre a partir deste mês.

Segundo dados do IABr, o consumo aparente de produtos siderúrgicos, que considera produção mais importações menos exportações, recuou cerca de 11 por cento no terceiro trimestre sobre um ano antes.

Às 11h23, as ações de Usiminas recuavam 1,5 por cento, CSN tinha perda de 1,9 por cento e Gerdau caía 1,4 por cento, com o Ibovespa recuando 2 por cento.

Em setembro, apenas, a produção de aço bruto do Brasil caiu 3,8 por cento sobre um ano antes, para 2,861 milhões de toneladas. Os laminados planos ficaram estáveis em 1,232 milhão de toneladas e os longos recuaram 5,7 por cento.

As vendas de aço no mercado interno, enquanto isso, foram de 1,774 milhão de toneladas em setembro, recuo de 10,7 por cento na comparação anual. Já no mercado externo houve salto de cerca de 83 por cento no mês passado, para 1,157 milhão de toneladas.   Continuação...