Bovespa fecha em queda de 2,55% com cautela na reta final das eleições

segunda-feira, 20 de outubro de 2014 18:24 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa abriu a semana no vermelho, em meio à cautela com a proximidade do segundo turno da eleição presidencial, após nova pesquisa reforçar o quadro equilibrado na disputa, com a sessão também marcada pelo exercício de opções sobre ações.

O Ibovespa caiu 2,55 por cento e fechou a 54.302 pontos nesta segunda-feira. O volume financeiro do pregão alcançou 10,7 bilhões de reais, inflado pelo vencimento dos contratos de opções.

Pesquisa CNT/MDA mostrou pela manhã empate técnico entre Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT, e o candidato do PSDB, Aécio Neves, mas com vantagem numérica da petista. Dilma teve 45,5 por cento e Aécio, com 44,5 por cento.

"Com os dados da CNT/MDA mostrando um empate técnico, expectativa para as próximas pesquisa na reta final aumenta", citou o BTG Pactual, em nota a clientes.

Ainda são aguardadas para esta segunda-feira outras pesquisas de intenção de votos, com destaque para o Datafolha. E, como em outros pregões, o mercado não deixou de especular sobre o possível resultado do levantamento, segundo operadores.

"Essa semana é a decisiva, logo com menos margem para erro", disse o analista de renda variável Fabio Lemos, da São Paulo Investments, explicando a atitude mais defensiva ao longo da sessão.

Entre as ações influenciadas pela dinâmica eleitoral, os papéis preferenciais da Petrobras recuaram 6,13 por cento, enquanto os papéis ordinários da estatal cederam 5,83 por cento.

O investidor Jim Chanos, um dos pioneiros da indústria de fundos de hedge, afirmou nesta segunda-feira que está apostando contra a Petrobras (ações e dívida), dizendo que a companhia "existe para servir o Estado".   Continuação...