Azevêdo pede sugestões a países diante de impasse na OMC

terça-feira, 21 de outubro de 2014 13:53 BRST
 

Por Tom Miles

GENEBRA (Reuters) - O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, vai iniciar na quarta-feira consultas com embaixadores da entidade em busca de uma forma de juntar os cacos depois que as negociações por um acordo comercial global aparentemente sofreram uma derrota final na terça-feira.

"Se e como faremos progresso, está em nossas mãos", disse o brasileiro a enviados em reunião do Conselho Geral da OMC.

Alguns diplomatas têm dito que a reunião representava o prazo final para a Índia deixar de bloquear um acordo global, ou seria preciso desistir das negociação e dividi-las em grupos menores. Isso diminuiria o papel da OMC, que tem como base que as regras globais sejam acatadas por todos os membros.

A Índia levou a OMC de volta a um impasse em julho, poucos meses após o órgão comercial de 160 membros ter quase fechado seu primeiro acordo global nos 19 anos de existência.

Apesar de ser um acordo modesto, simplificando e unificando regulamentações aduaneira em todo mundo, diplomatas tinham esperança de que pudesse abrir caminho para novas negociações mais amplas.

Mas a Índia tem resistido à pressão para aceitar o acordo, insistindo na aprovação da demanda para ser autorizada a estocar alimentos subsidiados em paralelo com as novas regras aduaneiras. Autoridades do Ministério do Comércio da Índia dizem que Nova Délhi permanece comprometida com essa posição.

O porta-voz da OMC, Keith Rockwell, disse nunca ter visto uma situação similar na organização, que tem sido afetada por impasses em negociações multilaterais de comércio há uma década.

"(Houve) algumas situações bastante terríveis, mas isso é único em incerteza e complexidade", disse ele após a reunião do Conselho Geral, um dos mais curtos da história.   Continuação...

 
Diretor da OMS, Roberto Azevêdo, durante coletiva de imprensa na Cidade do México. 11/08/2014. REUTERS/Henry Romero