Bovespa cai 3,4% para o menor nível desde junho por melhora de Dilma em pesquisas

terça-feira, 21 de outubro de 2014 18:05 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa despencou nesta terça-feira para a mínima em mais de quatro meses, revertendo os ganhos acumulados em outubro e também o avanço no ano em dólar, após levantamentos eleitorais na segunda-feira mostrarem a presidente Dilma Rousseff (PT) em vantagem numérica na corrida presidencial.

Pesquisa Datafolha, uma das mais monitoradas pelo mercado, mostrou na noite da véspera Dilma com 52 por cento dos votos válidos, ante 49 por cento em pesquisa anterior, contra Aécio Neves (PSDB) com 48 por cento (ante 51 por cento). Trata-se de empate técnico, mas agentes preferiram vender.

O Ibovespa caiu 3,44 por cento, a 52.432 pontos, menor patamar desde 5 de junho, pressionado principalmente pela estatal Petrobras, além dos bancos privados Itaú Unibanco e Bradesco, que tem reagido à eleição.

No pior momento, o principal índice da bolsa tocou o patamar dos 51 mil pontos pela primeira vez desde o início de junho.

O volume financeiro no pregão alcançou cerca de 12 bilhões de reais.

O declínio nesta sessão levou o Ibovespa a acumular perdas de cerca de 3,11 por cento em outubro, revertendo o ganho de 0,34 por cento contabilizado até a véspera. Na semana passada, o índice ainda tinha no mês elevação superior a 7 por cento.

No ano, o índice ainda acumula alta de 1,8 por cento em reais. Mas considerando a cotação em dólar, que tem subido em relação ao real, o Ibovespa abandonou o terreno positivo: acumula queda de 3 por cento, contra ganho de 1 por cento até a véspera.

A Bovespa chegou a reduzir as perdas no início da tarde, acompanhando Wall Street, em meio à repercussão positiva dos resultados corporativos de Apple e da Texas Instruments, mas o Ibovespa voltou a se aproximar dos 51 mil pontos, mesmo com o índice S&P 500 avançando 1,9 por cento.   Continuação...