BCE esfria especulação sobre testes em bancos antes de resultados

quarta-feira, 22 de outubro de 2014 10:36 BRST
 

MADRI/VIENA (Reuters) - O Banco Central Europeu fez um alerta nesta quarta-feira contra especulações sobre os resultados de testes de estresse em instituições financeiras depois que a imprensa afirmou que pelo menos 11 bancos não passaram nas verificações, o que fazia as ações de alguns recuar.

O austríaco Erste Group rejeitou a informação publicada pela agência espanhola EFE, que afirmou que a instituição e outros bancos da Itália, Bélgica, Chipre, Portugal e Grécia tinham fracassado na revisão do BCE segundo dados preliminares. A agência não informou o tamanho dos buracos de capital nos bancos citados.

O BCE, que publicará os resultados dos testes de estresse sobre 130 bancos no domingo, afirmou que os dados finais não foram enviados aos bancos envolvidos e que não comentará sobre instituições individuais.

A Autoridade Bancária Europeia, agência da União Europeia que está coordenando os testes, afirmou que os resultados não serão finais até que sejam endossados no domingo pouco antes da publicação.

A Erste afirmou à Reuters que não vê razão para acreditar que fracassará nos exames.

Os bancos já têm algum retorno sobre o resultado dos testes por meio de "diálogos de supervisão" com o BCE. Eles receberão esses resultados na quinta-feira, três dias antes do anúncio público. O BCE se tornará supervisor dos bancos da zona do euro em 4 de novembro.

Não houve comentários imediatos de outros bancos citados na reportagem da EFE, que chegou a causar brevemente uma queda no euro e fez ações europeias reverterem ganhos iniciais.

Além do Erste, os bancos citados pela EFE incluem os italianos Banco Popolare, Monte dei Paschi e Banca Popolare di Milano, os gregos Alpha Bank, Piraeus Bank e Eurobank, o português Millennium BCP e o belga Dexia.

O BCE está promovendo as checagens para determinar como os maiores bancos da zona do euro avaliam seus ativos e se terão capital suficiente para resistirem a uma outra crise econômica. O BCE assumirá como supervisor dos bancos no continente em 4 de novembro.

(Por Sarah White e Eva Taylor)