PMI de indústria da China do HSBC sobe em outubro mas ainda não indica virada

quinta-feira, 23 de outubro de 2014 07:32 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - O vasto setor industrial da China cresceu um pouco mais rápido em outubro porque as empresas receberam encomendas do exterior e domésticas, mostrou nesta quinta-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês), embora analistas digam que o número não indique uma virada no quarto trimestre para a economia.

O PMI preliminar do HSBC/Markit avançou para a máxima de três meses de 50,4, ante leitura final em setembro de 50,2, contra expectativa de analistas de 50,3.

Embora o resultado pareça ligeiramente melhor, a atividade industrial permanece fraca e os detalhes indicam fragilidade contínua em várias áreas.

O crescimento das encomendas domésticas e no exterior desacelerou em outubro e os preços ao produtor caíram, levando a inflação ao produtor à mínima de sete meses e destacando a demanda doméstica ainda fraca.

O nível de produção nas fábricas também caiu para a mínima de cinco meses de 50,7, pouco acima da marca de 50 que separa crescimento de contração.

A economia da China provavelmente não cumprirá a meta do governo de expansão de 7,5 por cento neste ano e deve atingir mínima que não era vista desde 1990. O crescimento no terceiro trimestre de 7,3 por cento divulgado na terça-feira foi o mais fraco desde a crise financeira global.

"Embora o setor industrial provavelmente tenha estabilizado em outubro, a economia continua mostrando sinais de demanda efetiva insuficiente", disse o economista-chefe para a China do HSBC, Hongbin Qu.

"Esperamos mais medidas de afrouxamento tanto no fronte monetário quanto fiscal nos meses à frente", disse Qu.

(Por Koh Gui Qing e Jake Spring)