Premiê britânico vai se opor a planos orçamentários da UE em cúpula, diz fonte

quinta-feira, 23 de outubro de 2014 10:33 BRST
 

Por Kylie MacLellan

LONDRES (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, David Clameron, planeja usar uma reunião de cúpula de líderes europeus nesta semana para fazer pressão contra os pedidos da União Europeia a seus Estados membros para desembolsarem mais dinheiro, disse uma fonte do governo britânico.

Cameron está sob pressão para assumir uma linha mais firme a respeito do bloco europeu antes de uma eleição nacional na Grã-Bretanha em maio do ano que vem, na qual o aumento de popularidade do Partido da Independência do Reino Unido (Ukip), contrário à UE, ameaça as chances de reeleição do Partido Conservador, de Cameron.

O líder britânico prometeu reformar as relações do país com a UE e então realizar um referendo sobre a permanência da Grã-Bretanha no bloco em 2017, se vencer a eleição de 2015.

A UE tem pedido mais dinheiro de seus Estados membros para cobrir os custos mais altos até o fim do ano, e também está negociando seu orçamento para 2015. O governo britânico considera as duas exigências muito custosas.

O Conselho da UE disse na quarta-feira que rejeitou as mudanças planejadas pelo Parlamento Europeu para o orçamento de 2015, e que vai começar em três semanas as negociações para tentar resolver as diferenças. As conversas também vão tratar da questão dos fundos extras para o restante de 2014.

"O que o Parlamento Europeu está buscando não é realista", disse a fonte do governo britânico antes de reunião do Conselho da UE na quinta e sexta-feira, da qual Cameron vai participar.

As discussões orçamentárias não estão na agenda oficial do encontro, mas Cameron deve aproveitar a oportunidade para expressar suas preocupações ao presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, e a outros líderes às margens da cúpula em Bruxelas, segundo a fonte.

 
Premiê britânico, David Cameron, do lado de fora da residência oficial de Downing Street. 16/10/2014 REUTERS/Neil Hall