Basf corta previsão para 2015, se preparando para fraqueza em mercados

sexta-feira, 24 de outubro de 2014 08:00 BRST
 

FRANKFURT (Reuters) - A Basf, maior empresa química do mundo em vendas, cortou previsão de lucro para 2015 diante de fraca demanda nos mercados europeus e disse nesta sexta-feira que medidas de reestruturação vão apoiar o resultado a partir de 2017.

A Basf, cujos produtos incluem revestimentos para automóveis, espumas químicas e conversores catalíticos, cortou a estimativa para o crescimento da produção química global em 2015 para 4 por cento, ante 4,9 por cento anteriormente.

"As razões para este desenvolvimento econômico global fraco são óbvias: a dinâmica de crescimento reduzido de mercados emergentes e um atraso na recuperação da economia europeia", disse o presidente-executivo Kurt Bock.

Às 7h23 (horário de Brasília), as ações da Basf caíam 2,8 por cento.

A Basf reduziu a previsão para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) em 2015 para 10 a 12 bilhões de euros, ante 14 bilhões de euros projetados previamente, e em linha com as expectativas do mercado.

Enquanto a Basf conta com a Ásia para o crescimento, a Europa é o seu mercado mais importante, respondendo por mais da metade das vendas do grupo.

A companhia de 150 anos, a primeira a fazer de fertilizantes nitrogenados produtos de massa cerca de um século atrás, disse que a reestruturação de seus negócios de produtos químicos de papel, aditivos plásticos e pigmentos contribuirá com cerca de 500 milhões de euros para o lucro a partir de 2017.

A empresa disse que o atual programa de eficiência estava à frente do previsto, tendo um efeito sobre o lucro até o final de 2015 que seria 300 milhões de euros superior ao projetado.

O lucro do terceiro trimestre antes de juros e impostos (Ebit) ajustado por itens extraordinários subiu para 1,84 bilhão de euros, acima da estimativa média de 1,74 bilhão em uma pesquisa da Reuters com analistas.