ONS piora previsões e vê reservatórios do Sudeste a 18,4% no fim do mês

sexta-feira, 24 de outubro de 2014 16:52 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - As previsões do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para o nível de reservatórios das usinas e crescimento do consumo de energia em outubro pioraram, segundo informativo divulgado nesta sexta-feira, diante do cenário de estiagem que afeta o país.

O Operador reduziu a projeção para os reservatórios do Sudeste/Centro-Oeste ao final do mês para 18,4 por cento de armazenamento, ante previsão anterior de 19 por cento. As chuvas esperadas para a região em outubro devem ser equivalentes a 62 por cento da média histórica, ante 67 por cento previstos na semana passada. No início do mês, a previsão era de que as afluências fossem de 89 por cento da média.

Atualmente o nível dos reservatórios do Sudeste está em 20,32 por cento e já é pior que o verificado ao final de outubro de 2001, ano do racionamento.

No Nordeste, as represas devem encerrar o mês a 15,2 por cento de armazenamento, sendo que as afluências em outubro ficarão muito abaixo da média, a 36 por cento.

O Norte terá chuvas equivalentes a 75 por cento da média e o nível das represas no fim do mês deverá ser de 33,7 por cento.

No Sul, onde está chovendo acima da média, as represas devem fechar o mês a 85,7 por cento de armazenamento, ante 90,56 por cento verificado atualmente.

O ONS já opera de forma a mitigar a redução do nível dos reservatórios das hidrelétricas, reduzindo a geração e acionando praticamente todas as termelétricas disponíveis no país.

Com a elevação das temperaturas que já vem ocorrendo, o consumo de energia também segue em trajetória ascendente diante do aumento do uso de equipamentos de refrigeração. O ONS estima alta de 3 por cento no consumo em outubro ante mesmo mês do ano passado. A previsão anterior era de alta 2,4 por cento.

Com a piora do cenário, o preço de energia de curto prazo dado pelo Preço de Liquidação de Diferenças (PLD) foi mantido no máximo 822,83 reais por megawatt-hora (MWh) em todas regiões e patamares de carga do país para a próxima semana, segundo divulgou a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

(Por Anna Flávia Rochas)