Após quatro pregões de queda, Bovespa avança 2,4% com especulações eleitorais

sexta-feira, 24 de outubro de 2014 18:12 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa encerrou o último pregão antes do segundo turno da eleição presidencial em alta, interrompendo sequência de quatro quedas, mas com seu principal índice longe das máximas da sessão volátil, marcada por pesquisas, rumores e especulações sobre o resultado das urnas no domingo.

O Ibovespa fechou nesta sexta-feira com ganho de 2,42 por cento, a 51.940 pontos, mas chegou a subir 4,8 por cento na máxima do dia, quanto alcançou 53.145 pontos. Também trabalhou no vermelho no início do pregão, quando caiu aos 50.687 pontos. O volume financeiro da sessão somou 10,6 bilhões de reais.

A alta nesta sexta-feira ajudou a reduzir as perdas na semana para 6,8 por cento, bem como colocou o desempenho acumulado no ano novamente no azul, com alta de 0,84 por cento.

“O movimento teve muito a ver com o que houve na véspera, quando a bolsa caiu com o mercado colocando uma chance de 70 a 80 por cento de vitória para Dilma Rousseff. Desde então, tivemos pesquisa Sensus e reportagem da Veja, entre outras coisas, e o mercado voltou a precificar algo como 50 a 50 por cento”, disse o analista Fernando Góes, da Clear Corretora.

Profissionais do mercado ouvidos pela Reuters também deram peso a resultados de supostos levantamentos eleitorais feitos por bancos que circularam por email durante o dia e apontavam Aécio Neves (PSDB) ainda à frente na disputa contra Dilma, que busca reeleição pelo PT, diferentemente de pesquisas Datafolha e Ibope, conhecidas na véspera.

Nesta manhã, o Sensus também trouxe o tucano na liderança, embora com menor vantagem em relação à pesquisa anterior, o que também ajudou a impulsionar o mercado.

Tais profissionais ainda citaram reportagem da revista Veja sobre suposta declaração do doleiro Alberto Youssef, à Polícia Federal, dizendo que tanto a presidente Dilma como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva saberiam do suposto esquema de corrupção na Petrobras. A expectativa para o último debate entre os candidatos na TV nesta noite e vários outros boatos também influenciaram os negócios.

Para a equipe do Brasil Plural, em comentários mais cedo a clientes sobre as pesquisas Ibope e Datafolha, salvo uma grande mudança de último minuto, como um fracasso no debate da TV nesta sexta-feira, a presidente Dilma ganhará mais quatro anos de governo na eleição de domingo.   Continuação...