Bolsas nos EUA sobem por resultados corporativos; S&P tem melhor semana desde janeiro de 2013

sexta-feira, 24 de outubro de 2014 19:33 BRST
 

Por Yasmeen Abutaleb

SÃO PAULO (Reuters) - Os índices acionários norte-americanos subiram nesta sexta-feira ajudados por resultados de empresas como Microsoft e Procter & Gamble e pela diminuição das preocupações com a possível disseminação do Ebola nos Estados Unidos.

O índice Dow Jones subiu 0,76 por cento, a 16.805 pontos, enquanto o S&P 500 teve ganho de 0,71 por cento, a 1.964 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq subiu 0,69 por cento, a 4.483 pontos.

O S&P 500 subiu 5,5 por cento desde sua baixa em 15 de outubro e teve a maior alta semanal em quase dois anos, impulsionado por sólidos resultados corporativos.

Na semana, o S&P acumulou alta de 4,1 por cento, no melhor desempenho semanal desde janeiro de 2013, o Dow Jones subiu 2,6 por cento e o Nasdaq teve alta de 5,3 por cento.

Notícias do primeiro caso de Ebola diagnosticado na cidade de Nova York atingiu os índices futuros no fim da quinta-feira, mas os mercados deixaram essa preocupação de lado nesta sexta-feira. Um médico sendo tratado para Ebola em um hospital de Nova York está em situação estável, disse a comissária de saúde da cidade, enquanto a Organização Mundial da Saúde apresentou planos para acelerar o desenvolvimento e o lançamento de vacinas experimentais.

"Estou encorajado pelo fato de que o mercado parece estar tendo uma atitude mais calma em relação às notícias recentes de Ebola", disse o gerente de risco de ações da Timber Hill/Interactive Brokers, Steve Sosnick. "Parece um mercado que está tentando consolidar alguns movimentos muito acentuados."

As ações da Microsoft subiram 2,5 por cento, para 46,13 dólares, depois que a empresa divulgou receita trimestral maior que a esperado enquanto manteve as margens de lucro amplamente intactas.

Os papéis da Procter & Gamble subiram 2,3 por cento, para 85,16 dólares. A maior fabricantes de produtos de consumo disse que vai desmembrar sua unidade de baterias, Duracell, em uma empresa separada.

Do lado negativo, as ações da Amazon caíram 8,3 por cento, para 287,06 dólares, a maior queda no S&P 500 e no Nasdaq 100 depois que as projeções de vendas da varejista online para o trimestre crucial de festas de fim de ano decepcionaram Wall Street e os resultados do terceiro trimestre ficaram abaixo do esperado.

De acordo com dados da Thomson Reuters até a manhã de sexta-feira, das 205 empresas do S&P 500 que divulgaram seus resultados, 69,8 por cento superam as expectativas dos analistas, acima da média de 63 por cento desde 1994. Em relação às receitas, 59,8 por cento superaram as estimativas, um pouco abaixo da taxa de 61 por cento desde 2002.