Lojas Americanas prevê abrir 800 lojas em 5 anos; lucro no 3o tri cai 33%

quarta-feira, 12 de novembro de 2014 20:51 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A varejista Lojas Americanas lançou novo plano de expansão nesta quarta-feira, com previsão de abertura de 800 novas lojas em cinco anos e investimentos de 4 bilhões de reais, depois de ter divulgado um lucro 33 por cento menor no terceiro trimestre.

"Devido ao otimismo que temos em relação ao Brasil, temos muitas oportunidades. As lojas que inauguramos estão performando muito bem", disse à Reuters o diretor de relações com investidores da companhia, Murilo Correa, sobre as perspectivas positivas em relação ao projeto.

Segundo o executivo, o plano de expansão da companhia não está focado nas questões macroeconômicas. "Passamos por diversos períodos e a empresa flutuou muito bem, vem navegando muito bem em relação a resultados", acrescentou.

Além das 800 lojas, o plano prevê a abertura de dois novos centros de distribuição. O número de novas unidades é o dobro em relação ao plano de expansão anterior, que teve a abertura de 400 lojas e foi concluído em 2013.

Os novos investimentos serão financiados por meio do próprio caixa da companhia, além de uma linha de crédito com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), de 1,2 bilhão de reais, aprovada em março, com o objetivo de expansão.

"A gente fez um trabalho de alongamento da dívida, hoje o perfil da dívida está muito diferente, temos hoje muita certeza de que a estrutura de capital suporta este desafio", afirmou Correa.

Ao final de setembro, a dívida líquida consolidada da companhia foi 1,3 vez o Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) acumulado de 12 meses, ante 1,5 vez em junho.

Segundo o executivo, há oportunidades de crescimentos nas lojas mais maduras, que vêm tendo "bom crescimento". As vendas mesmas lojas (abertas há mais 12 meses) cresceram 10 por cento no terceiro trimestre, ante avanço de 8 por cento um ano antes.

"Estamos muito otimistas com o Natal, principal trimestre das Lojas Americanas. Tem a possibilidade de um crescimento que sustente todo o plano de expansão e possa gerar a geração de caixa que a gente espera para os próximos anos."   Continuação...