Petrobras diz que denúncias de ex-diretor podem impactar balanço

segunda-feira, 17 de novembro de 2014 10:21 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras disse nesta segunda-feira, horas antes de uma conferência para falar sobre o controverso balanço do terceiro trimestre, que as recentes denúncias de corrupção têm potencial para impactar as demonstrações contábeis da empresa.

"O ex-diretor de Abastecimento da companhia, Paulo Roberto Costa... fez declarações que, se verdadeiras, podem impactar potencialmente as demonstrações contábeis da companhia", disse a Petrobras em anúncio publicado em jornais nesta segunda-feira.

Costa prestou depoimento com delação premiada à Polícia Federal e à Justiça em que detalhou suposto esquema de corrupção e desvio de verbas em contratos da estatal.

Diversos analistas já apontam riscos financeiros crescentes com o aprofundamento das investigações da operação Lava Jato, da PF, incluindo eventual necessidade de baixas contábeis envolvendo projetos com suspeitas de corrupção, o que implicaria em redução de pagamento de dividendos.

Também nesta segunda, a Petrobras informou que sua produção de petróleo no Brasil subiu 9 por cento no terceiro trimestre ante igual período do ano passado, a 2,09 milhões de barris por dia (bpd), segundo comunicado.

A petroleira, que disse na semana passada que atrasaria a publicação de seus resultados trimestrais, havia informado que apresentaria os dados operacionais nesta segunda.

Às 11 horas desta segunda, haverá uma teleconferência para analistas e investidores seguida de coletiva de imprensa na qual executivos da companhia comentarão os resultados operacionais e informações sobre o adiamento da divulgação das demonstrações contábeis.

Segundo a Petrobras, foram conectados 15 novos poços produtores no terceiro trimestre, estimando a conexão de outros 16 no último trimestre do ano. Se cumprida, a meta fará a companhia fechar o ano com 62 interligações, ante 34 no ano passado.

A companhia afirmou que a produção de gás natural alcançou 441 mil bpd entre julho e setembro.   Continuação...

 
Operário checa amostra de petréleo na plataforma de exploração marítima Angra dos Reis, no campo de Lula, a 300 km da costa do Rio de Janeiro. 16/02/2011.  REUTERS/Sergio Moraes