Dólar fecha quase estável por rumores sobre ministro da Fazenda

segunda-feira, 17 de novembro de 2014 17:15 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou quase estável ante o real nesta segunda-feira em um pregão volátil, ainda reagindo às incertezas sobre o futuro da política econômica, mas rumores de que o próximo ministro da Fazenda teria um perfil que agrada mais o mercado compensaram a pressão.

O quadro doméstico de incertezas levou a moeda norte-americana a subir em dez das 11 sessões passadas e renovar as máximas em quase uma década, o que, segundo analistas, abriu espaço para ajustes neste pregão.

A divisa dos Estados Unidos teve leve variação positiva de 0,02 por cento, a 2,6013 reais na venda, ainda na máxima desde abril de 2005. Nesta sessão, o dólar foi negociado a 2,6201 reais na máxima e 2,5808 reais na mínima. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,4 bilhão de dólares.

"Essa incerteza sobre o ministro (da Fazenda) está deixando o mercado tão sensível quanto estava na época das pesquisas eleitorais", disse o operador de câmbio da corretora B&T Marcos Trabbold.

Diversos rumores sobre a equipe econômica têm circulado nas mesas de câmbio nas últimas sessões. Segundo operadores, os boatos desta manhã não citavam nomes, apenas expectativas de que o próximo ministro da Fazenda, que substituirá Guido Mantega, teria uma posição mais pró-mercado.

Os nomes mais cotados nos últimos dias para o posto eram o ex-secretário-executivo da pasta Nelson Barbosa, o ex-presidente do BC Henrique Meirelles --claro favorito do mercado-- e o atual presidente da autoridade monetária, Alexandre Tombini.

"O cenário interno definitivamente não está favorável. Temos muita indefinição, sobre a equipe econômica, Petrobras, política econômica. Nesse contexto, o investidor não se arrisca", afirmou o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo, referindo-se aos desdobramentos da operação Lava Jato da Polícia Federal e à suspensão da divulgação do balanço da petrolífera.

O avanço recente da moeda norte-americana levou o BC a aumentar a oferta de swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares, na rolagem dos contratos que vencem em dezembro.

O BC vendeu nesta sessão a oferta integral de até 14 mil swaps para rolagem dos contratos que vencem em 1º de dezembro, equivalentes a 9,831 bilhões de dólares, mais do que os 9 mil que vinha ofertando até então. Ao todo, a autoridade monetária já rolou cerca de 47 por cento do lote total.

Mais cedo, o BC também vendeu a oferta total de até 4 mil swaps pelas atuações diárias, com volume correspondente a 197,4 milhões de dólares. Foram vendidos 3 mil contratos para 1º de junho e 1 mil para 1º de setembro de 2015.