Recuperação no mercado de automóveis europeu persiste em outubro

terça-feira, 18 de novembro de 2014 11:35 BRST
 

BERLIM (Reuters) - As vendas de carros novos na Europa subiram 6,2 por cento em outubro sobre um ano antes, com líderes do mercado em volume e no segmento premium, incluindo os grupos Volkswagen e BMW, registrado demanda mais forte em mercados-chave.

Os licenciamentos de automóveis de passageiros na União Europeia e nos países da Associação Europeia de Livre Comércio aumentaram para 1,113 milhão de veículos no mês passado, ante 1,047 milhão no mesmo período do ano passado, conforme divulgado pela Associação Europeia de Montadoras (Acea, na sigla em inglês) nesta terça-feira.

A demanda teve impulso em todos os principais países, com exceção da França, subindo em sete dos dez principais mercados da região, de acordo com a Acea.

O mercado de automóveis da Europa tem crescido por 14 meses seguidos, após uma queda de seis anos, mas continua muito aquém do seu pico antes da crise financeira.

Ainda assim, o ganho de 6,5 por cento nos 28 países da UE foi o segundo maior aumento percentual em um mês de outubro na região nos últimos oito anos, mostraram os dados.

Na Alemanha, maior mercado único europeu e terra de marcas como VW, BMW e Daimler, a alta foi de 3,7 por cento, para 275.320 unidades, enquanto o segundo colocado Reino Unido viu um salto de 14,2 por cento, a 179.714 veículos.

Por outro lado, a França, que é o terceiro maior mercado da região, teve queda de 3,8 por cento nos licenciamentos, reflexo de um crescimento econômico próximo à estagnação na segunda maior economia da zona do euro.

As vendas no acumulado do ano na UE e Associação Europeia de Livre Comércio subiram 5,9 por cento, a 11,02 milhões de veículos sobre 10,41 milhões no mesmo período do ano anterior, segundo os dados da Acea.

A VW, maior montadora da Europa, e a PSA Peugeot Citroen registraram crescimento de 6,9 por cento e 1,1 por cento, respectivamente, enquanto as marcas de luxo BMW e Daimler subiram 9,4 por cento e 2,2 por cento.

(Por Andreas Cremer)

 
Veículos estacionados no terminal de cargas do porto de Piraeus, na Grécia. 17/10/2014 REUTERS/Alkis Konstantinidis