MercadoPago mira aplicativos e leitor de cartões para elevar receita

quarta-feira, 19 de novembro de 2014 15:14 BRST
 

Por Marcela Ayres

SÃO PAULO (Reuters) - O MercadoPago, facilitador de pagamentos pela Internet da empresa de tecnologia MercadoLivre, anunciou nesta quarta-feira a oferta de soluções de pagamento para compras feitas em lojas físicas no Brasil.

O serviço funciona por meio de celulares inteligentes e tablets, com a empresa de olho em um potencial aumento de receitas em um segmento também visado por gigantes como Apple e Amazon.

A companhia passará a disponibilizar gratuitamente uma ferramenta de software que permitirá a incorporação do MercadoPago como meio de pagamento em aplicativos desenvolvidos por terceiros. Entre os clientes que já aceitam a solução em fase piloto, está o EasyTaxi, aplicativo de táxis.

"É o que vai mover a agulha do nosso crescimento para o futuro", afirmou o presidente do MercadoPago no Brasil, Marcelo Coelho, acrescentando que a companhia quer, com isso, incentivar que seus sete milhões de vendedores únicos, em base global, passem a operar também com aplicativos.

A empresa também lançou um leitor de cartões em fase piloto. Conectado a dispositivos móveis, ele permite que vendedores cobrem pelos serviços prestados da mesma forma que máquinas de companhias como Cielo e Rede. No Brasil, são aceitas todas as bandeiras de cartões, com parcelamento em até 12 vezes.

Em ambos os casos, o MercadoPago cobrará uma taxa de 4,99 por cento sobre os produtos e serviços vendidos, a mesma praticada na Internet.

"Estamos em estratégia de segmentação, ampliando nossos serviços para o nosso mesmo público cativo", afirmou Coelho, pontuando que a ênfase é para micro e pequenos empreendedores.

Em outra frente, a empresa lançou um aplicativo que transforma o celular em carteira digital, permitindo que os usuários realizem pagamentos e transferências por meio do aparelho de forma gratuita, desde que as duas partes estejam no ambiente do MercadoPago. Para o envio de recursos para contas em banco, por exemplo, é cobrada uma taxa de 3 reais.   Continuação...