CENÁRIOS - Varejistas projetam Natal fraco com consumidores de olho em dívidas e inflação

quinta-feira, 20 de novembro de 2014 14:02 BRST
 

Por Marcela Ayres e Juliana Schincariol

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - Crédito mais caro, inflação em alta, consumidor reticente. A combinação, que vigorou por todo o ano de 2014, não poderia entregar outro resultado que não um Natal historicamente fraco, na avaliação de especialistas e entidades que representam diferentes segmentos do setor varejista.

A expectativa é que a temporada de compras de fim de ano, a mais importante do ano, mostre um avanço de vendas menor que o apresentado em 2013, no que será, segundo a Confederação Nacional do Comércio (CNC), o ritmo mais tímido da última década.

A entidade estima que haverá um aumento de 2,6 por cento nas vendas de Natal sobre 2013, já descontada a inflação, abaixo do avanço de 5,1 por cento no ano passado e na projeção mais modesta para o período desde 2004, quando iniciou a pesquisa.

"O comércio não consegue mais vislumbrar as taxas de crescimento com as condições de crédito que são diferentes hoje, e com o esgotamento da ascensão da classe C", disse o economista sênior da CNC, Fabio Bentes.

"O Brasil teria que estar crescendo muito para incorporar mais gente e sabemos que crescimento foi algo que não passou na agenda do país este ano", afirmou.

Economistas preveem uma expansão de apenas 0,2 por cento no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro este ano, segundo o último boletim Focus, após avanço de 2,3 por cento no ano passado.

Tendo como pano de fundo um cenário macroeconômico desanimador, marcado por inflação e juros em alta, além de criação de empregos mais modesta e menor avanço no rendimento real dos trabalhadores, outras entidades também projetam um Natal sem brilho.

"Atualmente as lojas estão estocadas em menores quantidades que nos anos anteriores para que não haja encalhe", afirmou Luis Augusto Ildefonso da Silva, diretor de relações institucionais da Alshop, que reúne lojistas de shopping centers.   Continuação...