Banco central chinês surpreende com corte de juros para impulsionar economia

sexta-feira, 21 de novembro de 2014 13:08 BRST
 

Por Koh Gui Qing e Jason Subler

PEQUIM (Reuters) - A China inesperadamente cortou as taxas básicas de juros nesta sexta-feira, intensificando os esforços para apoiar a segunda maior economia do mundo, que caminha para seu crescimento anual mais lento em quase 25 anos.

O corte, o primeiro em mais de dois anos, surge em um momento em que a atividade industrial caiu em estagnação e o mercado imobiliário, há muito um pilar de crescimento, permanece fraco, pressionando a atividade econômica e reduzindo a demanda agregada.

"Vem logo após os dados decepcionantes do PMI da China mostrando que a atividade industrial está ficando perigosamente perto da contração", disse o chefe de análise de mercado do IG, Alexandre Baradez.

"O banco central da China está seguindo do caminho do Fed (Federal Reserve), do BCE (Banco Central Europeu) e do BoJ (banco central do Japão). Os bancos centrais estão realmente direcionando os mercados", disse.

Algumas semanas atrás, o presidente chinês Xi Jinping havia garantido a líderes empresariais de todo o mundo que o risco enfrentado pela economia da China não é "tão assustador" e que o governo estava confiante de que poderia controlar os perigos.

O banco central chinês informou que cortou a taxa de juros de um ano para empréstimos em 0,40 ponto percentual, para 5,6 por cento. A taxa de depósito de um ano teve uma redução menor, de 0,25 ponto percentual, informou o banco, acrescentando que as reduções entrarão em vigor no sábado.

LIMITANDO O IMPACTO   Continuação...

 
Bandeira da China hasteada em frente à sede do banco central chinês, em Pequim. 16/05/2014. REUTERS/Petar Kujundzic