VW revela investimentos multibilionários para os próximos 5 anos

sexta-feira, 21 de novembro de 2014 14:00 BRST
 

FRANKFURT (Reuters) - A Volkswagen pretende investir 85,6 bilhões de euros (106 bilhões de dólares) em suas operações automotivas nos próximos cinco anos, dando impulso à expansão no exterior, a novos modelos e tecnologia para apoiar sua busca pela liderança global.

A Volkswagen disse que a maior parte dos recursos será canalizada para o desenvolvimento de veículos e métodos de produção mais eficientes, levando os investimentos para entre 6 a 7 por cento da receita no período 2015-2019, o que, segundo analistas, equivale a uma ligeira alta nessa linha.

"Como esperado, o planejamento para o investimento em cinco anos da VW não se tornou uma vítima do programa de eficiência da empresa, que busca, entre outras coisas, ganhos de eficiência de 5 bilhões de euros na marca VW até 2018", disseram analistas da Evercore ISI.

Cerca de 41,3 bilhões de euros do plano de investimentos irão para o desenvolvimento de uma gama de veículos utilitários esportivos (SUVs), para a modernização de parte da portfólio de veículos comerciais leves e para o desenvolvimento de motores híbridos e elétricos.

Ao mesmo tempo, investimentos também estão previstos em veículos novos e modelos sucessores em quase todas as classes de veículos, que serão baseados na tecnologia modular de conjunto de ferramentas e componentes relacionados, disse a empresa em um comunicado.

O presidente-executivo do Grupo Volkswagen, Martin Winterkorn, disse que o plano de investimentos vai ajudar a empresa a se tornar "o grupo automotivo líder, tanto em termos ecológicos quanto econômicos, com os melhores e mais sustentáveis produtos."

Cerca de 23 bilhões de euros serão gastos na expansão da capacidade de sua fábrica na Polônia e na nova fábrica da Audi no México, bem como em oficinas de pintura e uma instalação de produção para fabricação de peças de veículos.

As joint ventures chinesas da Volkswagen vão investir 22 bilhões de euros em novas unidades de fabricação e produtos até 2019, disse a companhia.

(Por Andreas Cremer)