Índice europeu de ações sobe por corte de juros na China e declarações de Draghi

sexta-feira, 21 de novembro de 2014 15:50 BRST
 

Por Blaise Robinson

PARIS (Reuters) - O índice acionário europeu subiu nesta sexta-feira, impulsionado por declarações expansionistas do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, e pelo surpreendente corte de juros do banco central da China.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne os principais papéis do continente, subiu 2,1 por cento, a 1.384 pontos, maior patamar em dois meses.

Empresas de mineração, muito sensíveis ao crescimento econômico na China, ficaram entre as maiores altas, com as ações da Rio Tinto ganhando 6,2 por cento e da BHP Billiton subindo 5 por cento. O índice STOXX do setor de matérias-primas, que havia caído quase 20 por cento nos quatro último meses, subiu 5,7 por cento.

"Vem logo após os dados decepcionantes do PMI da China mostrando que a atividade industrial está ficando perigosamente perto da contração", disse o chefe de análise de mercado do IG, Alexandre Baradez.

"O banco central da China está seguindo do caminho do Fed (Federal Reserve), do BCE (Banco Central Europeu) e do BoJ (banco central do Japão). Os bancos centrais estão realmente direcionando os mercados", disse.

O corte da taxa de juros na China, o primeiro em mais de dois anos, veio em resposta à estagnação da atividade industrial e à persistente fraqueza no mercado imobiliário.

O sentimento dos investidores também foi impulsionado nesta sexta-feira por comentários do presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, que acenderam especulações de que o BCE possa injetar mais estímulo monetário na economia da zona do euro.

Falando em um congresso em Frankfurt, Draghi destacou a fraca atividade econômica no bloco e disse que o banco central ampliaria o tamanho, ritmo e composição do programa de compra de ativos, caso necessário.   Continuação...