CSN faz acordo com sócios da Namisa para fusão de negócios de mineração

segunda-feira, 24 de novembro de 2014 11:39 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informou nesta segunda-feira que conseguiu fechar um aguardado acordo com os sócios da Namisa para a fusão da mineradora com sua mina Casa de Pedra e ativos logísticos de mineração do grupo siderúrgico.

Como resultado da união dos ativos, a CSN vai criar uma nova empresa que será separada do grupo. O anúncio fazia as ações da CSN terem forte alta, exibindo valorização de quase 4 por cento às 11h24.

Em breve comunicado, a companhia disse que os acordos com seus sócios na Namisa, Itochu Corporation, JFE Steel Corporation [JFEST.UL], Posco, Kobe Steel, Nisshin Steel e China Steel Corporation foram assinados na noite da última sexta-feira. Procurada, a CSN não pode informar mais detalhes sobre o acordo de imediato.

Segundo a CSN, a transação está sujeita a aprovações pelos conselhos de administração das partes, que devem ocorrer até 12 de dezembro. O acordo ocorreu depois que uma comitiva de executivos dos sócios asiáticos veio ao Brasil em meados deste mês para mais uma rodada de negociações com a CSN.

A CSN passou a deter 60 por cento da Namisa e os sócios asiáticos o restante depois da venda de parcela de 40 por cento da mineradora em 2008 por cerca de 3,1 bilhões de dólares. A companhia brasileira vinha tentando há alguns anos um acordo para a fusão dos ativos, afirmando que a operação traria ganhos de escala e de produtividade para a área.

No primeiro semestre, a área de mineração da CSN foi responsável por 25 por cento da receita líquida da companhia. O terminal de exportação de minério de ferro Tecar deve chegar a um ritmo de 45 milhões de toneladas anuais até o final deste ano.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

 
Vista aérea das instalações da CSN em Volta Redonda. 16/01/2009 REUTERS/Fernando Soutello