Após mobilização atípica, governo aprova projeto da meta do superávit em comissão

terça-feira, 25 de novembro de 2014 09:02 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O governo mobilizou sua base e aprovou na Comissão Mista de Orçamento (CMO), no fim da noite de segunda-feira, o projeto que amplia os descontos para o cálculo da meta do superávit primário, apesar de contestações da oposição.

Após uma articulação que envolveu pedidos a cada um dos integrantes e suplentes da comissão feitos pelo líder da bancada governista na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS), e pelo ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, o governo garantiu não só o quórum necessário para abrir a reunião da CMO numa segunda-feira, dia tradicionalmente vazio no Parlamento, como conseguiu também número necessário para aprovar a proposta.

O projeto segue para o plenário do Congresso, onde ocorrerá a segunda rodada do embate entre governo e oposição, que pede a votação item por item da pauta do Parlamento, trancada por dezenas de vetos. A proposta só poderá ser analisada quando a pauta estiver livre.

“O jogo pesado é amanhã (terça-feira)”, disse  o líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE), classificando a votação desta segunda na CMO de “treinamento”.

A reunião na comissão foi tumultuada e marcada por embates entre governo e oposição. O texto-base chegou a ser aprovado na sessão de segunda, mas teve a votação anulada, para então ser novamente aprovado.

Não foi a primeira vez que a presidência da CMO teve de voltar atrás na aprovação do projeto.

O projeto já havia sido aprovado em uma tumultuada reunião da CMO na terça-feira da semana passada, mas a oposição, sob o argumento de que a reunião desrespeitou as regras do regimento, conseguiu que a votação fosse desconsiderada.

O governo tentou retomar a análise na quarta-feira, mas cochilou ao não garantir quórum suficiente para aprovar um requerimento que possibilitaria a votação do projeto do superávit naquele dia, razão pela qual a votação só foi possível nesta segunda-feira.

O Planalto tem imenso interesse na aprovação do projeto e corre contra o tempo para votá-lo até o encerramento dos trabalhos no Congresso, no dia 22 de dezembro.   Continuação...

 
Congresso Nacional, em Brasília. 27/07/2014. REUTERS/Jorge Silva