Setor aéreo vê demanda morna por voos no Brasil durante férias de verão

terça-feira, 25 de novembro de 2014 12:23 BRST
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A associação brasileira das empresas áreas (Abear) espera estabilidade no crescimento da demanda por transporte aéreo doméstico no Brasil durante as férias de verão em relação à média de meses anteriores neste ano, o que deve resultar em um maior equilíbrio em relação à oferta, conforme as empresas programam voos extras para o período.

Em outubro, a demanda por voos domésticos avançou 6,4 por cento sobre o mesmo mês de 2013, passando a acumular alta de 5,5 por cento em 2014.

"A demanda vem crescendo pouco acima de 5 por cento mês a mês esse ano. Isso não deve mudar (durante as férias), não achamos que vai ser um verão explosivo. Os números vêm se comportando de maneira mais ou menos estável, mas melhores que o restante da economia", disse o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz.

Segundo o consultor técnico da Abear Maurício Emboaba, como as empresas estão prevendo aumento da oferta no período das férias, a tendência é haver maior equilíbrio em relação à demanda.

A Gol, por exemplo, pretende adicionar 4 mil voos à sua programação entre dezembro e fevereiro, a maioria dos principais centros de origem para o Nordeste, assim como voos para Punta Cana, na República Dominicana.

A TAM prevê mil voos extras domésticos entre dezembro e janeiro. Deles, 700 de Brasília, do aeroporto do Galeão, no Rio, e de Guarulhos, em São Paulo, para Norte e Nordeste.

De acordo com os dados da Abear, a oferta de voos no mercado doméstico teve o segundo mês consecutivo de alta em outubro, de 2,6 por cento sobre o mesmo mês do ano passado. Com o avanço mais moderado que o da demanda, a taxa de ocupação doméstica continuou avançando e ficou em 80,83 por cento no mês, alta de 2,9 pontos percentuais sobre outubro de 2013.

No segmento de voos internacionais a partir do Brasil, houve alta de 3,5 por cento na demanda em outubro e crescimento de 0,5 por cento na oferta, resultando em uma taxa de ocupação de 85 por cento, avanço de 2,5 pontos percentuais contra outubro do ano passado.   Continuação...