ENTREVISTA-Emirados Árabes veem estabilização do preço do petróleo em breve

quarta-feira, 26 de novembro de 2014 11:05 BRST
 

VIENA (Reuters) - Os Emirados Árabes, importante produtor de petróleo no Golfo, se colocou nesta quarta-feira ao lado da líder da Opep, a Arábia Saudita, ao dizer que o grupo não deve entrar em pânico uma vez que os preços do petróleo devem se estabilizar logo, ao mesmo tempo em que devem aumentar a pressão sobre produtores de fora da Opep para ajudar a equilibrar a oferta global.

"Não vamos entrar em pânico, essa não é a primeira vez, isso não é uma crise que exige que entremos em pânico ... já vimos (preços) muito mais baixos", disse à Reuters o ministro de Petróleo dos Emirados Árabes, Suhail bin Mohammed al-Mazroui.

"O mercado irá se corrigir por conta própria, eventualmente", disse ele em uma entrevista, acrescentando que o recuo das cotações não deve durar muito.

A Arábia Saudita, líder da Opep, sinalizou na quarta-feira que não deve pressionar por uma grande mudança na produção de petróleo na reunião do grupo nesta semana, um dia após a Rússia se recusar a cooperar com qualquer corte na produção.

Mazroui disse que a Opep vai olhar todas as opções ao se reunir na quinta-feira: "Não estamos interessados em soluções de curto prazo, pois sabemos que não irão durar".

"A Opep não deve, na minha visão, ser a única a consertar este problema - a Opep não criou o excedente de oferta", ele acrescentou.

"O excedente de oferta veio da evolução da produção de petróleo não convencional ... acredito que todos precisam ter um papel para equilibrar o mercado, não a Opep unilateralmente".

Ele disse que a Opep não adotará como meta qualquer nível de preço, qualquer que seja a decisão tomada na quinta-feira.

"Acredito que a pergunta 'Qual é o bom preço?' não é mais uma questão para a Opep, mas sim uma questão para eles (de fora da Opep)".

(Por Rania El Gamal)