Rio Tinto promete grandes retornos em fevereiro apesar de queda do minério de ferro

sexta-feira, 28 de novembro de 2014 07:19 BRST
 

MELBOURNE (Reuters) - A mineradora global Rio Tinto adiou planos de construir uma mina de 1 bilhão de dólares na Austrália, elevando cortes de custos em meio a um mergulho nos preços do minério de ferro para que a empresa possa cumprir uma promessa de elevar os retornos para acionistas.

O adiamento da decisão sobre o investimento na proposta da mina de minério de ferro Silvergrass até pelo menos o terceiro trimestre de 2015 segue uma derrocada de 50 por cento dos preços do minério neste ano, uma vez que a Rio Tinto e suas principais rivais inundaram o mercado com nova oferta da commodity.

"Embora a perspectiva de longo prazo permaneça sólida, o curto prazo é, sem dúvida, mais desafiador", disse o presidente-executivo da Rio Tinto, Sam Walsh.

Mas ele afirmou que isso não afeta a promessa da companhia de elevar o retorno a acionistas substanciamente, que deve se concretizar em fevereiro de 2015, quando a empresa divulga resultados para seu ano fiscal completo.

A Rio Tinto precisa manter seus acionistas satisfeitos para evitar uma nova abordagem da Glencore. A expectativa é que a Glencore faça outra tentativa de comprar a mineradora global após ter sido rejeitada em agosto. Investidores solicitaram maiores retornos após gastos com aquisições consideradas caras e expansões de minas ao longo dos últimos sete anos.

"Reduzimos nossos custos, reduzimos nossa dívida ... e isso nos coloca em uma posição incrivelmente boa para aumentar substancialmente os retornos para o investidor", disse Walsh a investidores.

(Por Sonali Paul)